[Resenha] O Lado Bom da Vida

02 maio 2014
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrinseca
Páginas: 254
Classificação:
Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes da internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
De louco todo mundo tem um pouco
Sou suspeita pra falar que fui vítima de ter assistido ao filme antes de ler o livro. Mesmo assim não anula a experiência de querer lê-lo todas as manhãs no ônibus.
Senti a  mistura de compaixão e compreensão diante da mente tão confusa de Pat Peoples. E pena, por ser mais uma espectadora de sua tentativa para reconquistar sua ex-mulher Nikki, onde todos viam, inclusive nós leitoras que não iria dar resultados. 
Matthew Quick me fez pensar por bastante tempo sobre O LADO BOM DA VIDA e se de fato ele existe. Quando acabei por ver que talvez o lado bom da vida venha a ser as pequenas "coincidências" que não passam de pequenos milagres que podem parecer no momento empecilhos, mas como Pat costuma dizer: São apenas simples nuvens que bloqueiam o sol  mas sempre haverá  a luz por trás delas, ou seja, o lado bom das coisas.
A fé de Pat é tão grande e avassaladora que faz até nós, céticos, que estamos fora da história mudar o conceito e acreditar com ele que é possível e que sim ele irá conseguir. Cheguei a pensar em Nikki como uma sem coração por não perceber o tremendo esforço de Pat e ver a família dele e os que o cercavam como os malucos que deveriam estar no "lugar ruim" por colocar ele (mentalmente instável como dizia) em situações um tanto delicadas. Cômico, irreverente e profundo. Faz nós pararmos e pensarmos um pouco sobre a vida e até mesmo no próximo.

Há duas formas para se viver a vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.
                                                            Albert Einstein


Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Também vi o filme e depois descobri que era livro, de qualquer forma adorei os dois. É perfeito . A história, os atores, os personagens. Sim, adorei u-u

    ResponderExcluir
  2. Aliás Thays, por mais que algumas pessoas não gostem de capas referentes ao filme. Eu achei esta simplesmente linda.

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo