A copa dos pseudointelectuais

26 junho 2014
Copa é o assunto do momento até para aqueles que tentam ignorá-la. De fato essa é uma copa diferente, em terreno brasileiro, porém as ruas não estão tão coloridas com as cores da bandeira como outrora. A alegria (que não particularidade brasileira) não é vista tão escrachadas  nas ruas. Estamos um pouco com pé atrás, tentando não se deixar conquistar para não nos decepcionarmos. Por que se perdermos, não será apenas o jogo. Para nós brasileiros, será a revolta de tudo que já vinha acontecendo antes mesmo da copa chegar aqui. Nós sabemos de cor as nossas reclamações que infelizmente parece serem sempre as mesmas porém nunca solucionadas.
Mas também há aquelas pessoas que parecem se negar a aceitar que está acontecendo uma evento mundial ao seu lado por que não deveria compactuar com esse tipo de entretenimento. Ou pseudo intelectuais que se sentem superiores por não gostarem ou não festejarem o futebol por intitularem os que o fazem, pobres culturalmente.
Da mesma forma que andar com um livro não significa que esta pessoa seja inteligente ou bem informada. Nem um diploma me garante sabedoria.
 Eu assisto futebol! E não é por que é modinha. E se fosse? Dá-lhe Brasil!
Visto a camisa do Brasil e canto que sou brasileira com orgulho, e isso não faz com que eu me torne nem menos nem mais politizada. Me emociono sim quando vejo todos vestindo com as cores da nossa bandeira e cantando o hino de pé com a mão no peito. Por mais que isso seja momentâneo para alguns, mostra o quanto a nossa pátria ainda nos move.
Para assistir aos jogos da copa são necessárias mais de 96 horas, não assisti a todos eles, poderia estar lendo, ajudando pessoas necessitadas, fazendo algo de útil para a vida pública como alguns dizem (porém não o fazem), mas  estou assistindo o jogo, gritando com o juiz pelo televisor e não irei ganhar nada com isso. Não estou no estádio, não ganho por hora para ver as partidas. Mas o faço por que eu gosto! Curto esportes, gostava de jogar, gosto de assistir. Já aqueles que não gostam, eu entendo. 
Se a copa deveria estar sendo sediada aqui e que o nosso povo é bem atendido pelo nosso governo e isso tudo se tornou  um gasto ridículo visto o que vivemos no país e que a revolta contra a copa é justificada . Não nego e tenho opiniões muito particulares sobre isso. Torço e assisto o jogo, seja sediado no Brasil ou fora.

E amigos, o dia em que um esporte empobrecer alguém culturalmente terei que comprar mais livros e passar mais tempo tentando entender o preconceito bobo de muitos que tentam parecer o oposto do que não são.



Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"

O tempo causador da abstinência

23 junho 2014
Sabe aquela vontade de ler aquele livro que  você promete ser o próximo da lista? Comprar o próximo da série sendo que você nem acabou o anterior? Terminar uma saga para começar uma outra logo em seguida que o seu amigo tanto indicou?
Eu tenho essa vontade! Vontade aliás, é o que não falta. TEMPO! Esse é o problema meus caros. Parece que nunca temos o suficiente para fazer o que a gente quer e acabamos sacrificando os nossas vontades para fazer apenas as necessidades. Sabe, aquelas que nem sempre estamos afim de fazer, como passar o fim de semana estudando para uma prova difícil, trabalhar...
Parece que o tempo se encurta cada vez mais ou melhor sempre encontramos mais coisas pra fazer do que deveríamos. Enfim, NECESSIDADES. E como eu, às vezes -contra minha vontade- temos que abrir mão da leitura. Faz algumas semanas que estou sem ler meus livros, abstinência literária forçada, como eu costumo chamar.
Em tempos como esse costumo sempre ler pelo menos o jornal, revistas (o que não falta aqui em casa). Eles estão sendo meus acompanhantes de mão ultimamente. É uma boa leitura, essencial. Mas ainda assim penso na continuidade das histórias que tive que deixar pra trás e a lista (gritante) que me espera.
Acho que todos que têm o habito de ler continuamente já passou por isso. E se você também se identificou, amigo estamos juntos. O que nos resta é não nos tornarmos uma vítima do tempo e nos deixar ser controladas por um relógio e sim aprender a utilizá-lo e fazer usar dele a nosso favor.


 "As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo."                                                                                             Arthur Schopenhauer      

E amigos, fico feliz em dizer à vocês que a minha abstinência parece estar perto do fim.


Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"

Top 5 by 5: Piores Livros Não Terminados

11 junho 2014
Olá galera, tudo bem? Pois bem, hoje trago pra vocês um projeto criado pela Mylena Gonzalez do blog PS.: Take a Picture. O projeto consiste em, somos 5 blogueiros que regularmente escolheremos um tema e falaremos sobre ele. O tema de hoje é: Piores Livros Não Terminados.
Todo mundo aqui já teve aquele livro que não conseguiu dar continuidade, ou como eu (que me obrigo a ler até o final) penou pra terminar a leitura, se arrastando de capítulo em capítulo. E cá entre nós, isso é muito desagradável pois leitura deve ser prazerosa e não um tormento. Enfim, a minha escolha pra esse tema foi o livro Charlotte Street de Danny Wallace.


O livro conta a história de Jason Priestley, ex professor e atual crítico da London Now, que acabou de terminar um namoro de 4 anos, mora com o amigo Dev. E tudo começa quando Jason vê uma menina tentando entrar num táxi cheia de sacolas, ele vai ajudar e acaba ficando, sem querer, com a máquina fotográfica dela. E dai então Jason e Dev começam a procurar pela garota que mexeu com o coração de Jason.
Lendo esse resuminho o livro parece ótimo né, UAU... foi o que eu também pensei. Imaginei que a história se desenrolaria numa busca romântica e engraçada pela garota, assim como o livro prometia, mas não foi o que aconteceu. Realmente teve a busca, mas numa monotonia chata, nada de bom acontecia, Jason é um idiota, Dev nem se fala... E as 400 páginas poderiam muito bem ter sido resumidas em 100.

No desenrolar da história há uma pequena evolução nos personagens, como amadurecimentos e a importância de seguir em frente sempre, mas nada que tornasse o livro gostoso de se ler. 
Acho que a única coisa boa que posso tirar dele é a capa que é lindíssima, e acredito que seja o maior atrativo para os leitores. Cheguei certa vez a colocar uma foto dele no Instagram do blog e não teve UM comentário positivo sobre, achei muito surreal essa unanimidade, então, definitivamente, O LIVRO NÃO É BOM.
OBS: Se por acaso tenha alguém aqui que tenha gostado do livro, fale agora ou cale-se para sempre... quem sabe conseguimos salvá-lo né? :/

Veja as escolhas dos Piores Livros Não Terminados dos outros blogs:
- PS.: Take a Picture da Mylena Gonzalez
- PS.: Take a Picture da Nayane Torres
- Acervo Compartilhado da Jaminny Benício
- Dreamer Like Me do Willian Iuri




O livro do outro lado da rua

08 junho 2014
Sabe aquela sensação do momento que encontramos uma pessoa que leu o mesmo livro que a gente? De finalmente poder debater sobre o livro com alguém, seja lá quem for. Para mal ou para bem. Pois parece que quando  se é contra uma obra de que nós tanto gostamos, isso nos impulsiona  a tentar convencer  o outro leitor do contrário.
Quando encontramos alguém com tamanha singularidade é como se déssemos continuidade a história e até mesmo o desconhecido se torna de imediato um tipo de amigo, por mais que por apenas um instante.
Assim como eu acredito que a maioria dos leitores  já devem ter vivenciado a experiência de ver alguém em um ônibus ou em um banco de um shopping lendo e nos desdobramos pera tentar ver a capa do dito cujo. E quando dá positivo (SIM, É UM LIVRO CONHECIDO!),pelo menos eu, já sinto a estranha necessidade de falar com ela - é claro que nunca fiz isso- porém até simpatizo com a pessoa, mal sabendo que é observada. Ou do contrário, quando  o livro é desconhecido, isso aguça a curiosidade para saber mais sobre ele.
Por vezes nos prendemos no nosso próprio mundinho, no NOSSO MUNDO! Onde os livros sempre estão a  mão e os olhos atentos a mais uma página.
Mas o quão bom é olhar em volta e se dar conta que pode haver um livro do outro lado da rua e uma pessoa que possa chamar de amiga.
Acontece nos livros  não é? Então, da próxima vez iremos ser os protagonistas e quem sabe fazer amizade com um amigo literário.


Obs:. Cuidado leitores poderei ser a próxima amiga literária a abordá-los na rua. Fiquem atentos.
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"

Quote da Semana #14

04 junho 2014
"- É meio difícil  de acreditar que alguém possa achar isso irritante - o Augustus disse depois de um tempo.
- As pessoas sempre  acabam ficando insensíveis à beleza.
- Eu ainda não fiquei insensível à você - ele retrucou..."

A culpa é das estrelas - John Green
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"

Lançamentos Junho 2014

03 junho 2014
Destaque:
Incendeia-me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Sinopse: UM DIA EU POSSO ROMPER, UM DIA EU POSSO R-O-M-P-E-R E ME LIBERTAR, NADA MAIS VAI SER IGUAL. O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho dO Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.


 



Parceria com Marina Duarte

02 junho 2014
Olá galeraaaaaa, tudo bem? Hoje trago pra vocês mais uma parceria. Gente, como amo livros de capas fofas, e esse da Marina Duarte é fofura demais, então conheçam PCicose do Amor

Biografia:
Estudante de Publicidade e Propaganda de Fortaleza / CE, resolveu publicar seu primeiro livro, aos 19 anos, trazendo uma história que aborda algo considerado natural nos dias de hoje, e que, inclusive ela mesma vivenciou.







Sinopse:
"Sofia é uma garota que gosta de preencher todos os espaços vazios do seu tempo. A verdadeira "topa tudo". Porém, por querer fazer tudo, acaba não fazendo nada, e passa a maior parte do dia em um computador.
Por culpa de uma invenção na internet, um novo passatempo, seu coração começa a disparar involuntariamente.
Será que a garota vai cair nas armadilhas de um amor cheio de obstáculos?"




Contatos com a autora:
- Facebook;
- Instagram.
 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo