Sou brasileira e leio.

30 setembro 2014
Me surpreendo sempre que me deparo com alguém falando que brasileiro não lê. E se essa pessoa estiver disposta a ter uma longa conversa comigo, direi que não. Brasileiro lê sim, olha eu aqui. E cada vez mais a parcela de leitores está deixando de ser uma minoria seleta.  Aplaudo e me orgulho de ver projetos literários sendo criados, livros sendo emprestados e mais e mais autores (brasileiros) fazendo parte das nossas prateleiras e ganhando espaço no mercado literário.
Defendo veemente a literatura, especialmente aquela que deve ser mostrada quando criança. Escolas com acervos infantojuvenis, sebos, bibliotecas sendo aberta em locais carentes e muitas dessas iniciativas são de leitores.

O número de leitores aumentou consideravelmente, e parte desse número se deve aos tão engajados adolescentes e jovens que descobriram o prazer na leitura. Filas para ver autores, a bienal lotada, livros se esgotando antes mesmo dos eventos terminaram.
 Os números de publicações, de novos contratos com autores e a quantidade livrarias no Brasil cresceu 50% nos últimos 10 anos. O mercado brasileiro está fazendo sucesso aplicando os modelos de livrarias europeias no modelo store in store com coffee shops integradas junto com as mega stores que já existiam. Elevando o conceito do que é ler. Trazendo a ideia de que a livraria não precisa ser apenas um lugar para comprar livros, mas um lugar especial para lê-lo, conhecer autores, encontrar outros que apreciem e trazer grande satisfação aos clientes.

São números. Porém somos além da estatística, somos leitores. Que além de ler podemos conquistar aqueles que estejam dispostos a se abrirem para um lugar completamente novo que pode ser qualquer mundo que queiramos viver. O nosso mundo.
E posso dizer com isso e todo o meu sentimento de satisfação quando mais uma pessoa aceita ler uma indicação que faço, sou brasileira e leio.





Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
4 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

4 comentários:

  1. Adorei seu texto! O número de leitores e livrarias aqui no Brasil ainda é pequeno, se comparado a outros paises, mas felizmente cm tantas adaptações e "modinhas" literárias aparecendo esse número apenas aumenta. Eu mesma comecei a ler com modinhas, e hoje leio de tudo haha

    http://pequenamiia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda iniciativa é válida desde que tenha uma continuidade. Com o tempo vamos amadurecendo nossos gostos literários, ou não. Gostei e ainda gosto de algumas "modinhas" o importante é o que essa leitura irá nos proporcionar.
      E vamos ler! \o/

      Excluir
  2. Fico contente desse novo Brasil que tá chegando... quando comecei a ler absurdamente mais livros que meus amigos, eu era quase um alien. Hoje, o publico adolescente lê muito mais do que eu lia quando era adolescente = velhaca! =(

    Parabéns pelo post, e vamos ler mais! \o/

    Livre Leve Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gisela começamos a perceber a idade que temos quando nos vemos falando: na minha idade... no meu tempo... hahaha Me pego falando as mesmas frases às vezes.

      Agora, ler é considerado "cool", é cult. E graças as diferentes investidas no mundo literário o número de leitores vem aumentando.! E dou graças por isso também.
      Vamos ler! \o/

      Excluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo