[Resenha] Filhos da Senzala

18 novembro 2014

Autor: Silvânia Dias
Editora: Schoba
Páginas: 260
 Classificação:
Sinopse: Ele era branco, jovem e livre. Ela, uma belíssima parda, provocante e sedutora que nasceu escrava na Fazenda Cantareira, de propriedade do temido e impiedoso Capitão Bartolomeu Moutinho Esteves. Por intenso amor a ela, o ingênuo rapaz vendeu 12 anos da sua experiência ao diabólico fazendeiro e mergulhou no abismo sombrio e brutal do cativeiro, tornando-se o principal personagem de um sórdido drama.

A um tempinho recebi um e-mail super gostoso do qual já citei aqui no blog, a Editora Schoba convidou o Memórias de uma Leitora pra abraçar um de seus títulos e aceitamos, é claro. O livro chegou me encantando e depois de ler fiquei mais extasiada ainda. Então partiremos pro que interessa: a resenha.

Filhos da Senzala é um romance de época que acontece no ano de 1819. Conta a história de Francisco do Espírito Santo Junior, que morava com seu pai, sua mãe e o irmão gêmeo na Fazenda dos Suplícios. Até que sua mãe morre subitamente e na dor da perda Francisco resolve selar seu cavalo saindo da fazenda sem destino e sem volta.
Depois de dias nas estradas Francisco para em aposentos pra viajante e encontra Augusto Campos, um viajante que presta serviços pra Fazenda Cantareira. Na necessidade de ambos, Francisco passa a ajudar Augusto que o leva até a fazenda onde é contratado pelo terrível Capitão Bartolomeu Moutinho Esteves.
Moutinho tratava Francisco como escravo, destinando a ele todo trabalho duro e impiedosos da fazenda, já que ele era o melhor dos seus empregados. Nessa lamentação e sofrimento do trabalho na Fazenda Cantareira, nosso protagonista se apaixonada por Eugênia, uma parda linda, fogosa e que levava os homens ao delírio. Depois de muito tempo tentando conquistar a cobiçada Eugênia, enfim a escrava se rende a paixão.
E na paixão avassaladora Francisco vai pedir permissão ao Capitão Moutinho para se casar com a escrava. Porém o capitão não se desfaria assim tão fácil de sua escrava. Propôs, então, a Francisco trocar doze anos dos seus serviços pela alforria de sua amada. Francisco topou assinando um contrato sem saber que estava caindo numa brutal armadilha da qual só se daria conta doze anos depois.
A partir daí somos apresentados a um amor incondicional entre Francisco e Eugênia, uma crueldade descomunal do capitão Moutinho, uma história cheia de trama, dramas, companheirismo e amor. Durante o drama de Francisco também conhecemos outros personagens e histórias paralelas que agregam valor ainda maior ao livro, passamos a entender os motivos e caráter de cada um, seu passado e presente.

Silvânia Dias escreve de uma forma diferente do que já li, parece que estamos lendo clássicos mas de maneira limpa, da qual conseguimos compreender e acompanhar cada palavra. Não gosto muito de livros com poucos diálogos, mas Filhos da Senzala me calou nesse sentido, a leitura foi tão gostosa que eu clamava por mais tempo para ler, fiquei com gosto de quero mais Silvânia Dias. Eu me apaixonei pela escrita da autora, me apaixonei pela história, me apaixonei pela editora, tudo encantador.

Podem ler, podem ler sem medo, e compreendendo que o amor quando forte e verdadeiro vence qualquer obstáculos, qualquer barreira...

E gostaria de agradecer aqui a Editora Schoba pela oportunidade de ler algo tão enriquecedor, tão apaixonante. Muito obrigada pelo carinho e atenção.









1 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

1 comentários:

  1. Amei a resenha, Suzane! Fico muito feliz que tenha apreciado a leitura! Mais uma coisinha: o blog está lindo. As fotos deixam as resenha ainda mais interessantes! Grande abraço!

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo