[Especial] Samanta Holtz - 30. Entrevista

30 abril 2015

E chegamos ao último dia do especial (AAAAAAAAHHH). Eu sei, eu sei, uma pena, né?! Mas pra fechar o Especial Samanta Holtz com chave de ouro trazemos uma super entrevista pra vocês. Vamos conhecer um pouco mais sobre nossa rainha? 



Loucos por Samanta Holtz: Samanta por Samanta. (fale um pouco sobre você)
Samanta Holtz: É sempre difícil falarmos sobre nós mesmos! Minha visão sobre mim é um pouco do que sei, do que percebo e do que os outros me retratam. Sou uma pessoa muito otimista, gosto de sempre olhar o lado bom de qualquer situação e acreditar no melhor das pessoas. Acredito plenamente em Deus e sou profundamente grata por minha vida e por tudo o que Ele me proporciona nessa linda jornada, sejam os momentos bons, os difíceis, os obstáculos, as vitórias. Tudo faz parte do nosso aprendizado e evolução. Do mais, amo a natureza, os animais, a boa música (tenho muita facilidade para tocar, especialmente o violão, pena não ter mais tempo para ele!) e, claro, as histórias dos livros!
LpSH: Como foi o seu primeiro contato com a literatura? Fale um pouco sobre a Samanta leitora.
SH: Minhas leituras começaram na infância, quando minha mãe e minha irmã mais velha liam gibis do Maurício de Souza para mim. Eu ficava tão fascinada com aquelas histórias que chegou um momento em que ouvi-las já não era o suficiente; então, eu pegava os gibis e ficava ali tentando entender, ou inventar as falas em minha cabeça. Até que, um dia, aos cinco anos, percebi que estava conseguindo ler! A Turma da Mônica foi uma febre em casa por muitos anos comigo e com minhas irmãs; toda sexta, religiosamente, minha mãe nos levava à banca para comprarmos gibis novos. Era uma alegria!! Alguns anos mais tarde, quando eu tinha cerca de dez anos, lembro-me até hoje do primeiro romance que comprei, em uma Feira do Livro do colégio: “Meu Primeiro Namorado” e “Ensaio de um Beijo”, ambos da série “Meu Primeiro Amor”. Eu devorei aqueles livros, e foi quando começou minha paixão por romances, que dura até hoje!
LpSH: De onde vem a inspiração para as histórias?
SH: Não há um momento ou lugar para a inspiração acontecer. Hoje, mesmo, eu estava sentada na rodoviária esperando um ônibus e tive uma inspiração súbita ao bater os olhos em uma estante abandonada cheia de livros velhos. Já me veio à mente um personagem, uma história... ali, naquele lugar escuro e barulhento, apenas por ver um objeto. Então, não há segredos, fórmulas ou metodologias; o importante é estar sempre com o olhar atento a tudo o que nos rodeia, pois grandes inspirações podem estar escondidas onde menos esperamos!
LpSH: Como surgiu a ideia para cada enredo criado por você?
SH: Em complemento à resposta anterior: é muito difícil me lembrar! (risos) Sei que a ideia inicial de “O Pássaro” surgiu nas aulas de História do Ensino Médio, quando aprendíamos sobre o Feudalismo. Eu ficava tão encantada com aquele contexto da Idade Média, vassalos, senhores, que Caroline Mondevieu e Bernardo nasceram em minha imaginação quase sem que eu percebesse. Já meus outros dois livros, deve ter sido em algum momento inusitado do qual infelizmente não me lembro mais!
LpSH: Você acha que os leitores se identificam com os personagens? Tem um pouco da Sam em algum personagem?
SH: Sempre há uma identificação, seja com a história de vida deles, os sentimentos, a forma de pensar... o mágico dos livros é isso! A gente encontra pedaços de nós mesmos espalhados pelas páginas e os recolhe de volta, mesmo sem perceber. Quanto a mim, acredito que cada uma das minhas personagens tenha, sim, um pouco de mim. Durante o processo criativo, enquanto se escreve, dificilmente conseguimos nos desconectar 100%, especialmente quando a escrita é em primeira pessoa (que é o caso de Renascer de um Outono). De todo modo, se alguma característica minha tiver escapado para elas, não foi intencional, pois busco dar liberdade para todos os personagens serem quem são, desde os protagonistas até os secundários.
LpSH: Como é se despedir dos personagens dos seus livros?
SH: É bem melancólico! Encerrar um livro traz uma alegria, um êxtase, mas é acompanhado pelo olhar saudoso dos personagens, que acenam agradecendo pela forma como conduzimos suas jornadas e seus destinos. Porém, por mais que eu “me afaste” deles por um momento, a sensação que tenho é a de que eles estão vivos em algum plano, vivendo a continuação da jornada deles, pois meu livro retratou apenas um pedaço da vida deles. Como se alguém escolhesse um trecho da nossa vida para colocar em um livro, mas isso não significa que nossa existência se resumiu apenas àquele período!
LpSH: Qual a dificuldade de se publicar um livro no Brasil?
SH: A primeira delas é encontrar espaço nas boas editoras, pois, como empresas, elas estão atrás de produtos com potencial de grandes vendas, que são, claro, os autores renomados e já conhecidos. Desse modo, é difícil um autor iniciante encontrar espaço. E, quando consegue um contrato, existem muitas variações – editoras que cobram pela publicação, as que não cobram, as que colocam alguma cláusula complicada no contrato... o escritor fica perdido, e eu sei disso porque recebo muitas e muitas mensagens de novos autores sempre com os mesmos medos e dúvidas. Então, caso optem por uma publicação mais tímida ou de menor alcance, vem o desafio de conquistar o público leitor, divulgar e vender seus livros, conseguir distribuição em todo o território nacional e em grandes livrarias... existem barreiras em todos os lugares, para entrar na editora, na livraria, na estante do leitor e, por fim, no coração dele. Cada etapa é uma barreira ainda maior que a anterior, e é por isso que recomendo que trilhe esse caminho quem realmente ama escrever, para que esses desafios não representem desânimo, e sim garra!
LpSH: Como você descreveria suas próprias histórias? 
SH: Descreveria como histórias que mexem com a emoção e tocam o coração. Não digo isso por mim mesma, e sim com base nos vários feedbacks e resenhas já recebidos de leitores e blogueiros. A grande maioria comenta como meus livros os fez chorarem, pensarem, mudarem, agirem, e isso é maravilhoso, pois meu grande sonho sempre foi que, através das minhas palavras, eu conseguisse fazer a diferença na vida das pessoas.
LpSH: Todos nós percebemos o quão unida e linda é sua família. Eles lhe ajudam com os enredos das histórias dando ideias? Ou até mesmo servem de inspiração para elas?
SH: Sou abençoada pela família maravilhosa que possuo! Nós nos amamos muito e fico emocionada sempre que vejo o quanto eles torcem verdadeiramente por mim e me apoiam na busca por meus sonhos. Eles praticamente embarcam ao meu lado e sonham junto! (risos) Quanto à inspiração para histórias, eu evito associar personagens ou fatos a pessoas do meu convívio porque isso pode limitar o processo criativo. Personagens e histórias, como mencionei em outra pergunta anterior, precisam ser 100% livres do mundo real para que o autor tenha essa liberdade na hora de criar, moldar e mudar. Quanto a ideias, minha irmã Tati foi responsável por uma grande ideia que, se Deus permitir, será um dos meus próximos livros lançados! (já comecei a trabalhar nele...) 
LpSH: Como lida com as críticas?
SH: Para mim, toda crítica é muito bem-vinda, pois, seja ela negativa ou positiva, significa, em primeiro lugar, que aquela pessoa reservou uma parte do seu tempo para ler meu trabalho e mais um pouco para expressar como o livro a fez se sentir e o que achou da história. Aproveito cada comentário, cada sugestão, cada elogio, cada reclamação para entender onde estou acertando e onde preciso melhorar. Claro, existem pessoas menos generosas que escrevem algo no único intuito de magoar ou causar uma polêmica, porém eu não lido com elas de forma menos gentil e atenciosa do que com as demais. Afinal, muita gente só age desse jeito porque os outros agem assim com elas... e, mesmo se eu receber uma mensagem grosseira (o que, graças a Deus, é extremamente raro), gosto de fazê-las compreenderem que a gentileza é a forma mais eficiente de se moldar e transmitir uma mensagem.
LpSH: Alguns escritores gostam de se inspirar em músicas, ou até mesmo ouvi-las enquanto escrevem. Você tem playlist’s ou músicas que lhe inspiraram ao escrever suas histórias? Quais são elas e de que livros fazem parte?
SH: Sim, música ajuda muuuuito na criação. Normalmente, deixo meu canal do Deezer tocando músicas aleatórias ou o CD de um artista de que gosto (de preferência, instrumental). Acontece muito de eu estar escrevendo uma cena e a música combinar tanto com ela que eu a fico repetindo até terminar de escrever! O que também acontece é, às vezes, quando vou começar uma cena, já idealizar uma música que combina com ela e deixar essa música tocando enquanto escrevo ou reviso a cena, pois ajuda a “entrar no clima”. Tenho várias músicas para cada um dos meus livros, e meus artistas favoritos são Yanni, Paul Cardall, Tim Janis, Yiruma, Era, The Piano Guys... algumas músicas que ouvi exaustivamente na construção de algumas cenas tristes de “Renascer de um Outono” foram “Redeemer”, do Paul Cardall, e “I Believe”, do Era.
LpSH: Conte-nos um pouco sobre seus próximos projetos literários. Tem planos de tentar outros gêneros?
SH: Estou aguardando para definir a publicação do meu próximo livro e, em breve, teremos boas novidades! Quanto a outros gêneros, por ora, pretendo me manter no romance, mas os próximos livros terão algumas passagens bem diferentes daquelas que meus leitores já estão acostumados. Mal posso esperar para saber o que vão achar!
LpSH: E se suas histórias virassem filme? Qual seria o Elenco dos Sonhos para cada livro?
SH: Aaaaah, seria um sonho se virassem filmes! Em meus devaneios, já vi o rosto dos meus personagens em alguns atores brasileiros e estrangeiros. Caroline Mondevieu (de O Pássaro) poderia ser interpretada por Natalie Portman. Acho que combinaria bem com Liam Hemsworth fazendo o papel de Bernardo, não? Mas só se ele deixar a barba crescidinha... (risos) Amelie Wood (Quero Ser Beth Levitt), sempre a imaginei muito parecida com a Taylor Swift (em sua fase mais romântica, não muito agora). Ricardo Frenzier (Renascer de um Outono), quando escrevi, foi bastante inspirado no Freddie Prinze Jr., e também vejo traços dele no Adam Levine. Ah, é tanta gente!!! 
LpSH: Quais são os sonhos da Samanta?
SH: Tenho tantos sonhos! Um deles é tornar-me uma escritora reconhecida internacionalmente. Seria fantástico, o máximo! Saber que meu livro é lido em diversos países, diversos idiomas, e que minhas palavras agora alcançam muito mais longe. Outro grande sonho é ver meus livros adaptados para o cinema ou teatro. Eu tive a experiência, quando mais nova, de escrever uma peça de teatro para uma escola e me lembro até hoje da emoção em ver minhas ideias e personagens concretizados ali, em pessoas, falas, fazendo o público rir nos momentos em que eu tive essa intenção. Imaginar isso acontecendo em uma escala muito maior emociona só de pensar! E tenho muita fé de que ainda viverei todas essas emoções.
LpSH: Que mensagem de incentivo você deixaria para quem está começando?
SH: Em primeiro lugar, faça-se uma pergunta importante: “Por que estou escrevendo?”. Se a resposta tiver qualquer coisa a ver com números ou resultados rápidos, pare agora e revise suas expectativas. Em primeiro lugar, seus objetivos com a escrita devem estar além dos resultados; mantenha seu foco no leitor, no impacto das suas palavras na sua vida e na vida de mais alguém. É isso que lhe dará forças para encarar e vencer o tempo, a espera, os obstáculos, os “nãos”... E, quando esses obstáculos aparecerem, não veja como muralhas que o cercam, mas uma muralha que você é plenamente capaz de contornar com sua capacidade e trabalho árduo. A publicação talvez não venha no primeiro livro (assim como aconteceu comigo, que comecei a publicar com meu terceiro livro escrito), mas quem disse que isso é sinal para parar de escrever e desistir? Você vai melhorar a cada livro, então, se é isso mesmo o que quer, continue! Estude, trabalhe, tenha seu “plano B”, é claro. Mas mantenha a escrita ali, em paralelo, pois seu dia chegará. Desde que você esteja preparado para isso!
LpSH: Deixe um recado para todos os fãs e leitores.
SH: Meus queridos... quando penso em vocês, a primeira palavra que me vem à mente é sempre “obrigada”. Nunca me canso de agradecer por tudo o que vocês me fazem sentir, tudo o que são e representam em minha vida, o apoio, o carinho, a presença nos eventos, as mensagens... Obrigada por acompanharem meu trabalho e por me seguirem literalmente aonde eu for. Obrigada por dedicarem tanto amor a mim! Espero que consigam sentir o quanto esse amor é recíproco em meu coração por cada um de vocês. Vocês são os melhores!
Então galera, chegamos ao fim do especial, e espero que vocês tenham gostado de acompanhá-lo tanto quanto eu gostei de fazê-lo. Espero também que vocês tenham se apaixonado pela doçura da Sam e por seus livros lindos.

Gostaria de agradecer a Fernanda Braga, do blog Mato por Livros, pelo convite lindo de participar do especial. Fê, você é um amor sem limites, obrigada pela paciência com que sempre me atende pra tirar as dúvidas infinitas, sempre tentando trazer o melhor por especial <3

Agradecer também a Taty, irmã e anjo da Sam, por toda a atenção e por ser nossa cúmplice por aqui, recolhendo informações e com um carinho imenso com os "Loucos". Você tem um lugar enorme nos nossos corações <3

Agradecer a todos os Loucos por Samanta Holtz, fãs, familiares e amigos que se doaram muito nos nossos planos e surpresas, sem vocês não teria sido tão lindo.

E agradecer a Sam, nossa rainha mestre, por todo amor e carinho que sempre nos dá. Sam, espero que tenha gostado desse mês que fizemos especialmente pra você, que tenha sentido um pouquinho do nosso amor por ti. Que Deus esteja sempre contigo e que os anjos a guarde eternamente. AMO VOCÊ DEMAIS, DEMAIS, DEMAIS.

Sentirei saudades do especial, beijos galera!!!

[Especial] Samanta Holtz - 29. Depoimentos para a Sam

29 abril 2015


Vocês já estão carecas de saber o quanto a Sam transborda amor, simpatia e carinho por onde passa, o quanto a admiramos e amamos seu jeito doce. Então por esse motivo vamos nos deliciar com depoimentos de pessoas que a admiram tanto quanto nós do Memórias de uma Leitora.

Infelizmente não tem como pedir para todas as pessoas que a admiram e escrever algo sobre ela. Mas sabemos que os sentimentos e o carinho são sentidos por todos que a conhecem. Então os que hoje aqui enviam suas mensagens, representam a todos nós fãs, leitores, amigos, familiares e admiradores.


Encontrar a Sam é sempre sinônimo de encantamento, ser sua leitora é um aprendizado a cada capítulo. Sempre apoia e incentiva nossos sonhos.
Samanta é doce, meiga simpática e carinhosa. E de tanto ela nos dizer "VOE ALTO" agora é ela quem voa, ganhando cada vez mais reconhecimento, e isso deixa o coração de fã muito feliz.
Sam, obrigada por todo amor e pureza que emana de você para nós, por todo carinho e sorriso. Você é encantadora ao extremo. De uma fã que morre sempre de saudades, Suzane Cruz.

A Samanta é uma pessoa tão especial, que faltam palavras para descrevê-las, aliás
até sobram, mas causa um certo receio diante de uma escritora que sabe a palavra certa na hora certa,
que emociona e toca seu coração.
O receio de cair no clichê.
Mas ao conhecê-la esse medo passa e o mais perfeito é que os "pré-conceitos" se quebram, ela leu minha
alma e reconheceu o carinho sincero que sinto por ela, retribuindo com o sorriso mais contagiante que eu
já vi. A Sam facilita, é inevitável sorrir perto dela, ficar toda boba, pois ela emana simpatia, beleza, sinceridade e alegria.
Sam, você está em cada palavra que escreve, em cada lição que passa através de seus livros, vai além... é pura inspiração. Foi um sonho realizado conhecê-la; a minha escritora favorita. Só desejo mais sucesso em sua vida.
Beijos
Van


Samanta o que escrever a você que nos proporciona emoções sem tamanho com os seus romances e nos transmite através das palavras sentimentos unicos?
Eu acho que não encontro palavras suficientes para descrever uma pessoa assim, afinal eu não sou a escritora aqui, mas vamos lá.
Você é uma pessoa abençoada por Deus, e eu sinto-me honrada em tê-la conhecido pessoalmente. Jamais esquecerei a alegria de estar com você e de ver que além de uma ótima escritora você é uma pessoa fantástica, sempre tão simpática e querida, uma pessoa de coração puro como a Amie, perseverante como a Caroline e destemida como a Anna, e tenho certeza uma linda mulher.
Sei que você sempre alcançará tudo o que almeja pois me contaram que Deus sempre recompensa pessoas boas como você. E não preciso dizer para que continue sendo essa pessoa maravilhosa que é, pois pessoas com essa essência não costumam ser diferentes, então só posso desejar sucesso sempre em tudo que você fizer.
Te adoro e admiro.
De uma louca e fã Joi.

Que a Samanta Holtz é uma autora muito talentosa, todos que já leram as suas histórias podem comprovar esse fato. Mas por trás das suas lindas palavras, temos a pessoa Samanta Holtz.
A Sam que vem sempre com um sorriso no rosto e cheia de simpatia falar com as pessoas;
A Sam que consegue passar em cada palavra dita o quão carinhosa ela é;
A Sam que tem o coração puro da Amie, a determinação da Caroline e a força da Anna.
A Sam que faz a gente se inspirar em fazer sempre o nosso melhor...
Samanta, parabéns por ser quem você é!
Que o mundo possa devolver toda a bondade e carinho que você já deu à ele.
Muitas alegrias, sucessos, momentos inesquecíveis e páginas da sua própria história que terá muitos e muitos mais capítulos felizes.
Beijo grande.
Te adoro!
Com carinho,
Ana Paula Toledo






Sam, feliz o dia que olhei uma resenha de um livro chamado O Pássaro, um pássaro que me fez voar até você, minha escritora favorita, uma das melhores pessoas que pude conhecer. Parece que nenhuma da melhor palavra consegue atingir o tamanho e o sentimento que você representa para mim, eu nunca imaginei o quanto minha vida como leitora e pessoa através de seus livros e você como pessoa iriam me mudar, me fazer tão mais feliz, me fazer querer seguir exemplos bons, ainda parece mentira que meus maiores sonhos puderam ter sido realizados porque você, essa pessoa tão iluminada, com um coração tão gentil, humano, puro fez todos eles possíveis. Eu me sinto uma pessoa completamente honrada por poder fazer parte da sua história, por ter te conhecido, pessoas que passam pela sua vida devem se sentir privilegiadas porque é impossível passar por você sem levar algo de bom, sem sentir um pouquinho do amor de Deus por todos nós, sem se contagiar com seu sorriso, seu coração sincero, sua humildade, seu carisma, sua atenção, e seu dom de dizer palavras certas não somente em romances, mas a cada momento. Eu acredito que serão sempre necessárias inúmeras homenagens para te agradecer e elas ainda não acalçarão o significado da sua vida no meio de nós, como escritora e pessoa. Torceremos sempre pelo seu sucesso, lutaremos por seu reconhecimento merecido, por mais e mais livros escritos, por sua felicidade que é compartilhada com todos nós. Você é nosso exemplo, exemplo de ser o melhor ser humano que se pode ser na terra, por isso acreditamos que Deus te reserva coisas lindas desde sempre e ele nos reservava você em nossas vidas e nunca cansarei de agradecer a ele por isso.
Amo você.
Mari





"Conhecer a Sam foi incrível! Conheci uma pessoa maravilhosa que me apresentou mais pessoas incríveis! Sam, obrigada por me ensinar a viver!"
Karol





Não consigo entender porque sempre faltam palavras que possam expressar exatamente o que pensamos, o que sentimos, quando queremos demonstrar nossos sentimentos!
Falar da Sam é falar de algo tão bom, tão puro que nos enche de alegrias, de bons sentimentos e de uma paz tão grande...
Como não admirar sua beleza e não falo da exterior se bem que és muito linda também. Mas como não admirar seu bom coração, a pureza e sensibilidade de sua alma?
Falamos tanto que amamos as histórias de Sam por vários motivos, um deles -e não falo só por mim -, é por sentir tantas coisas boas alcançando nossos corações, tocando nossa vida e nos fazendo ter vontade de mudar, de ser pessoas melhores. E sei que sentimos essas coisas porque elas vem de dentro da Samanta Holtz. A doçura, o carisma, a simpatia, o altruísmo, tudo o que lemos em suas histórias, em suas heroínas, nada mais são que reflexos do que a própria Samanta é, ela querendo admitir isso ou não, rs. Seria impossível colocar tanta pureza em suas histórias se você mesma não fosse assim.
Hoje só quero te dizer que é maravilhoso, é especial, é um verdadeiro presente dos céus, ter alguém como você em nossas vidas. Você nos faz olhar para dentro de nós, para dentro de nossos corações. Você nos faz querer ser melhores, você nos faz sonhar. É incrível e especial, mais que especial, ter alguém como você em nossa vida.
Seja sempre assim. E que a felicidade esteja sempre ao seu lado.
Um beijo enorme em seu coração.
Fer


Como é fácil falar sobre alguém que amamos tanto, mas nunca conseguiremos dizer tudo que ela merece ouvir porque nos faltam tantas vezes as palavras certas......assim é com você minha amada "Samanta", minha Samy, minha Samantinha....... tão especial!!!!!!! E que sabe do meu amor.......do quanto sou feliz por ser sua tia....sua madrinha.....sua amiga verdadeira..........sua fanzoca..........agradeço muito à DEUS por sua vida!!!! Parabéns por suas conquistas e que venham muitas e muitas mais!!!!!!!!!!!!! Te amooooooooooooooooooooo e DEUS a abençoe!!!!!!!!!!!!!!

Com amor,

Nete.

Sá...
Que grande responsabilidade fazer um depoimento sobre você!!! Tenho tantas coisas para falar, mas ao mesmo tempo é tão difícil saber por onde começar ou o que exatamente falar...!!
Você sempre foi uma criança diferente, toda concentrada, cheia de ideias, já adorava inventar histórias e fazer os gibis que desde então eu já adorava ler (já era sua mini fã!! rs)!! Também sempre teve esse jeito doce, carinhoso e essa vontade sincera de querer ver um mundo melhor!!!
Tudo bem que também "sofri" poucas e boas nas suas mãos e da Vâ, mas quem mandou eu ser a mais nova, né? Acho que não tem como escapar quando se tem irmãs mais velhas rs!! E de tudo que aprontaram comigo, váários apelidos restaram dessa época que ainda me acompanham além de muitas outras lembranças mais que divertidas que nos rendem boas risadas até hoje!! Eu não poderia ter irmãs melhores!! Entre todas as maluquices, brincadeiras, lágrimas e risadas, agradeço a Deus do fundo do meu coração por ter vocês em minha vida!!!
Você é uma irmã muito querida que eu amo demais!! Continue com este seu jeito lindo e especial!! Você nos conquista em todas as suas histórias porque cada uma delas tem a sua essência, e é simplesmente impossível não se apaixonar por você, pelo seu jeito e não ter vontade de ter você sempre por perto!!! Conte sempre comigo, para tudo, hoje e sempre!!!

Um grande beijo e um abraço apertado, cheio de carinho, da sua irmã, fã (1/2), amiga,

Taty 

Muito amor, não?! Amanhã tem mais :*

[Especial] Samanta Holtz - 28. Receitas de Amie

28 abril 2015


Quem leu a história especial de Amie, em Quero Ser Beth Levitt, sabe que nossa doce Amie, além do dom de amar e da dança, possui também outros talentos. 
Um deles é um MARAVILHOSO bolo de fubá, que NOOSSAAAA nos deixa com água na boca. Que o diga Chris que literalmente lambeu os dedos. 

E claro que não poderíamos deixar de compartilhar com vocês esse segredinho da Amie. Trazemos para vocês a receita do famoso bolo de fubá.

E para nos ensinar a receita desse bolo maravilhoso, não poderia ser ninguém mais ninguém menos que ela, que como diria nossa Karol, tem as mãos de uma fada, ela que faz cada receitinha de nos deixar babando, e nos faz sonhar com um livro de receita onde vai dividir todos os seus quitutes conosco, hihi. 
Estamos falando de Tatiana Holtz nossa quituteira de mão cheia. 

BOLO DE FUBÁ

Ingredientes:

3 ovos (cerca de 180g)
1 xícara (chá) de óleo (200ml)
1 xícara (chá) de leite (200ml)
1 e 1/2 xícara (chá)de açúcar (240g)
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo (165g)
1 e 1/2 xícara (chá) de fubá (195g)
1 colher (sopa) rasa de fermento em pó (10g)
1 colher (chá) de erva-doce (2,5g)
Açúcar de confeiteiro para polvilhar


Modo de Fazer:

- Misture, no liquidificador, os ovos com o óleo e o leite. Pulsando, junte o açúcar, a farinha e o fubá. Bata bem. 
- Por último, sem bater, incorpore o fermento e a erva-doce.
- Coloque na forma untada com manteiga e enfarinhada e asse no forno preaquecido.
- Sirva polvilhado com o açúcar de confeiteiro.


Bolo de fubá é tudo de bom né? 
#DICA: Bolo de fubá com achocolatado, é MARAVILHOSOOOO!!

Bem, sabemos também que existe um "certo" Mousse de Maracujá, que exerce um papel doce e importante na história. Mas pensando mais em seu lado DOCE trouxemos para vocês mais uma deliciosa receita. 


MOUSSE DE MARACUJÁ
Ingredientes:

1 lata de leite condensado
a mesma medida de suco de maracujá (natural de preferência né? rs, mas tem quem use de garrafinha)
1 lata de creme de leite sem soro
1 maracujá para enfeitar o prato (opcional)


Modo de Fazer:

- Coloque o leite condensado, o creme de leite e a mesma medida do suco de maracujá no liquidificador, bata por alguns minutos e pronto! 
Para dar um toque especial coloque wafles na tijela antes de colocar o musse, fica maravilhoso, e por cima coloque as sementes do maracujá para enfeitar o prato!


E ai gostaram? Bateu aquela fominha agora né? Então mãos a massa! Depois contem para nós o que acharam ok? Grande beijo galerinha :*

[Especial] Samanta Holtz - 27. Infância da Autora

27 abril 2015

Tem coisa mais gostosa que a infância? Aquela fase onde só brincávamos, dormíamos, estudávamos... sem a menor preocupação? Onde a pureza e inocência eram nossas fiéis escudeiras? Por esse motivo vamos falar sobre a infância da nossa querida autora. Vamos la?


Quando penso em minha infância, não consigo deixar de pensar também na família. Toda a minha vida foi pautada no amor das pessoas que amo – meus pais, irmãs, tios, primos e avós. Tive a honra de crescer em um ambiente de união e alegria que é um dos grandes responsáveis pela pessoa que eu sou hoje. Ah, como é importante prestarmos atenção no ambiente que estamos proporcionando às crianças que nos cercam...! É determinante para os adultos que se tornarão um dia.

Uma figura muito marcante da minha infância é a minha avó Irma. Ela se tornou um forte exemplo de otimismo e perseverança devido à forma como lutou contra o câncer. Durante seis anos, ela enfrentou a doença sem jamais soltar uma única reclamação ou palavra negativa. Nós íamos visita-la e a encontrávamos sempre com o mesmo sorriso, não importava os sintomas que estava passando após os tratamentos.

Na época, eu não tinha noção da doença ou da sua complexidade – e acredito que os adultos acabavam nos poupando disso. Foi somente depois que a doença a levou embora (e, já adolescente, enfim entendi do que se tratava) que passei a entender a força e magnitude daquela mulher.

Resolvi falar nela não somente pelo exemplo que ela se tornou em minha vida mas porque ela foi uma das primeiras a perceber minha “alma de escritora”. Minha tia me conta que, quando eu era bem nova, falei uma frase: “Que os maus sejam bons e os bons sejam simpáticos”. Minha avó anotou a frase e, sempre que ia ao hospital, repetia a frase às enfermeiras e contava que era a neta dela que havia criado. Eu nem me lembro disso, para ser sincera... rs... se minha tia não me contasse, eu nem saberia.

A foto que escolhi para essa postagem é uma das que ela mais gostava. Ela achava bonita minha expressão, o olhar perdido... e, em casa, quando olhamos essa foto, nós nos perguntamos se já havia ideias e histórias nascendo naquela cabecinha de escritora-bebê! (risos) Além disso, mostra que, desde aquela idade, eu já tinha o hábito de “entrar na bolha” – termo que minhas irmãs criaram para descrever os momentos em que mergulho em pensamentos. Continuo fazendo essa carinha até hoje – a diferença é que não sou mais carequinha!

Eu teria centenas de fatos e pessoas para mencionar em relação à minha infância, mas escolhi este em especial por estar, de algum modo, relacionado a quem sou hoje e aos sonhos que carrego em meu coração. Se Deus dá um dom a cada um, ela, de alguma forma, enxergou o meu. Mesmo que sutilmente, através de uma frase dita por uma criança.

Obrigada, vovó Irma, por continuar fazendo parte da minha vida mesmo tantos anos depois de ter partido para os braços de Deus. Sei que, onde quer que você esteja, está acompanhando nossas vidas... e repetindo aos anjos que a cercam as frases que sua netinha não perdeu o hábito de criar!


Sam que história linda, e agradecemos muito por compartilha-la com a gente. Sua avó era uma grande sábia por enxergar a grande escritora em você desde sempre. Muito obrigada.

Curtiram saber mais sobre a Sam? Amanhã tem mais, beijos :*

[Especial] Samanta Holtz - 26. Depoimentos dos Leitores | Renascer de um Outono

26 abril 2015

Anna nos ensinou como superar um grande obstáculo. Como seguir em frente quando o coração está dilacerado. Nós apegamos a Anna como se ela fosse a nossa "memiga" e torcemos para que apesar das lágrimas e depois de toda sua dor, que ela pudesse ser feliz.
Sua história comoveu muitas pessoas, arrancou muitas lágrimas e muitos suspiros.

Vamos conhecer alguns depoimentos de leitores de Renascer de um Outono.




Fran Rossini

Apaixonada pelo Outono
Renascer de um Outono é o segundo livro que leio da Sam - me achando intima já rs - e me apaixonei de novo. Samanta é, sem dúvida, uma das melhores escritoras brasileiras atual.
No livro conhecemos a doce Anna Hills, uma menina cheia de qualidades e virtudes que nos encanta da primeira a última página. Duas coisas nela me fizeram gostar ainda mais de acompanhar sua estória: primeiro porque Anna é o nome da minha sobrinha e a segunda foi seu jeito doce e a maneira como ama ajudar as pessoas me lembra muito minha mãe. Anna não é o tipo de personagem anormal , daquelas que você acha que só existe em livros. Ela é humana, sente dor, chora, grita, tem raiva e ama...
"Algumas coisa na vida são tão passageiras que mal temos tempo de amá-las..." Página 85
Quem nunca teve um amor platônico? Nossa Anna teve e foi muito fofo ver sua dedicação pelo seu querido John...
"Em meu coração, ainda existe aquele espaço da paixão verdadeira. Aquele alguém com quem você se pega sonhando involuntariamente, que toma conta dos seus pensamentos e faz com que as preocupações do dia a dia reduzam-se a pó. Esse alguém, para mim, é o John." Página 12
Ah que romance lindo! Fiquei apaixonada pelo casal. Também tem uma pessoa encanta muuuuuuito é o Ricardo Um rapaz tão lindo, tanto por dentro quanto por fora. E a desconfiada Lauren que te faz querer pegá-la no colo e proteger das coisas ruins. Apenas uma personagem ganhou minha antipatia, Barbara, a irmã da Anna... Não sei explicar, mas meu santo não bateu com o dela rs.
Mas enfim, Renascer de um Outono é indicado para aquelas pessoas que gostam de receber mensagens positivas, lições valiosas e suspirar com um amor envolvente sem ser pornográfico. Um livro doce escrito por uma pessoa doce. Recomendo!

Crédito: Skoob




Denise

Não sei se já surtei aqui no blog pelos livros da Samanta, portanto, digo aqui que eu sou muito fã das narrativas absurdamente fofas e tocantes dessa autora. Ela é, definitivamente, uma das melhores autoras nacionais de romance, e eu digo isso com cada vez mais convicção. A cada romance lançado, a Samanta amadurece a escrita e a narrativa e traz maiores emoções às páginas dos livros. Renascer de um Outono é exemplo disso.
O livro nos entrega o ponto de vista de Anna Hills, uma simpática e doce garota que passou por um trágico acontecimento a uns meses - a mãe morreu num acidente de carro, deixando grande vazio em sua vida. Determinada a conquistar independência para si mesma, não querendo continuar debaixo dos cuidados do pai exatamente para encontrar amadurecimento, Anna viaja até a cidade de Icefall para tentar passar na faculdade - acontece de nada dar certo e ela ficar lá com um emprego de garçonete e a certeza de que a independência não é assim tão fácil. Eis que Anna encontra um anúncio num jornal: alguém precisa de uma babá; esse parece o emprego ideal para ela, até que conhece a menina de quem deverá cuidar. Sob a certeza de que terá um desafio pela frente, Anna aceita ficar naquele emprego, confrontando não só o desafio como o próprio crescimento em relação as pessoas que vão aparecer em sua vida.
"Você viverá uma história intensa de amor e entrega. Algumas coisas que você conquistar nesse período serão permanentes e, de outras, você terá que se despedir. [...] estará dividida entre dois caminhos. Ambos a levarão para uma nova descoberta, mas, se você escolher com o coração, encontrará a felicidade duradoura."
Sei que sou a pessoa nerd e viciada em ficções e mundos fantásticos, mas bons romances (água com açúcar ou dramáticos) conseguem me conquistar. No caso dos livros anteriores da Samanta, foi a maneira com que ela desenvolveu o relacionamento entre os personagens e a lindeza fofíssima (e ligeiramente triste, como de O Pássaro) que me conquistou. Em Renascer de um Outono, apesar de eu ter tido alguns tropeços com a protagonista, não foi diferente.
Anna é doce, e eu, como boa adoradora de protagonistas cheias de personalidade, acabei não conseguindo me ligar tanto com ela. Gostei da narrativa e do ponto de vista da personagem, mas a visão ingênua e simpática dela com a vida não me conquistou tanto quanto a Caroline, por exemplo - protagonista do primeiro romance da autora, O Pássaro. Se a Anna tivesse um pouco mais de atitude (como pelo menos socar a fuça da Cindy, aquela insuportável, em mais de uma oportunidade) eu teria simpatizado mais.
Não posso dizer o mesmo do Ricardo, tio de Lauren, a menina de quem Anna passa a cuidar. Gente, AQUELE MOÇO, EU AMO AQUELE MOÇO!
Ele tem todo um humor bonitinho e é de uma simpatia absurda - apesar de algumas burradas a respeito do seu interesse amoroso, Ricardo conseguiu me arrebatar desde o primeiro momento. Outro que eu amei forte foi o John (e ai meu coração shipper por causa disso!). John é o amor platônico da Anna há muitos anos e ele aparece na história quase no meio do livro, mas chega chegando! Como faz pra escolher qual deles eu amei mais? Não faz! Eu só amei muito os dois de maneiras diferentes, porque enquanto o Ricardo era todo amigo e humor, John era o sonho adolescente da Anna se tornando realidade, quase um príncipe encantado.
Deixa eu falar que chorei muito com o final porque Samanta e sua veia dramática! Ai o meu pobre coração, como ele foi pisoteado. E depois recebeu auxílio, porque o último capítulo me fez chorar arco-íris (e comemorar porque MEU SHIP INICIAL VIROU CANON!)
Renascer de um Outono é sobre perdas, superações, todos os tipos de amores e, principalmente, sobre o recomeço. A narrativa é toda baseada em mil emoções, e é impossível lê-lo sem sentir o mesmo que os personagens - às vezes uns mais do que os outros, porque olha, Anna, vou te apresentar a Rose Hathaway e ela vai te apresentar ao gancho de direita. Tu tá precisando aprender a socar umas fuças, menina!
"Naqueles segundos, apenas naqueles segundos, mergulhei na ilusão de que eu tinha o poder de reger o tempo e fazer aquele momento para sempre. Eterno. Ininterrupto. O mais próximo possível do infinito..."
O livro ensina a preciosidade das coisas eternas e também das simples e foi um romance muito bem estruturado para tocar o coração de cada leitor. A Samanta está de parabéns, novamente, por construir uma narrativa tão tocante e rica em sentimentos. Impossível ler Renascer e não tirar alguns instantes para pensar na vida e nas coisas maravilhosamente simples e preciosas que existem em cada momento dela.
Esta resenha foi feita por Denise Flaibam, membro do blog 'Só mais um', e a reprodução integral ou parcial da mesma é proibida. Plágio é crime.

Crédito: Blog Só Mais Um




Dulce (Duduca)

Livro fascinante! Perfeito!
Os romances: Renascer de um Outono, O Pássaro e Quero Ser Beth Levitt, são fantásticos, admiráveis, magníficos, emocionantes e inspiradores. Nos fazem vibrar com as personagens de personalidade marcante e singular, são fontes de inspiração para alcançarmos os sonhos do nosso coração com determinação, perseverança, honestidade e coragem, além de nos fazer refletir intensamente sobre a nossa existência. Os livros são recomendadíssimos para os admiradores de excelentes romances!
Nós, leitores, tivemos a imensa oportunidade de conhecer uma escritora nacional apaixonada pelas palavras, uma pessoa doce, simpática, delicada e com um coração que resplandece pureza e bondade. O mundo ficou mais agradável, mais colorido e gentil depois que a talentosíssima, Samanta Hotlz, publicou seus esplêndidos livros. Ao lermos suas obras já imaginamos uma pessoa fantástica e de coração generoso, contudo, ao conhecermos a Samanta pessoalmente, temos a certeza que ela é muito além do que pensávamos.
A escrita da Samanta é suave, impecável e sensível. E nos proporciona uma imensa reflexão acerca da vida, do comportamento humano e a busca incessante para realizarmos os nossos sonhos. A extraordinária autora é digna de contemplação, diante da sua perseverança durante anos para concretizar o seu sonho: publicar seus livros.
Samanta, seus fãs agradecem pelo seu carinho e dedicação! Você merece toda a nossa admiração e retribui com todo afeto e simpatia. Nós só temos elogios e o constante apoio para a divulgação dos seus livros. Desejamos de coração que todos os seus sonhos sejam realizados, e que a sua vida seja repleta de conquistas e felicidades! Que Deus continue abençoando a sua carreira e a sua vida! Muito sucesso!

Crédito: Skoob



Renata

Minhas impressões sobre Renascer de um outono
Renascer de um outono é o segundo livro que leio da querida autora nacional Samanta Holtz. Ele conta a história de Anna Hills, uma jovem que está com a vida um pouquinho diferente do que havia sonhado para si. Sozinha em uma cidade estranha, reprovada no vestibular e demitida do emprego, ela enfrenta a difícil batalha para superar o desânimo e ir em busca de um lugar no mundo que possa chamar de seu. Determinada a deixar os “fracassos” para trás, Anna descobre nos classificados uma vaga para ser babá de uma garotinha que vive com o tio. No entanto, ela não imagina que aquele pequeno anúncio de jornal se tornará o passaporte para as maiores emoções da sua vida, colocando-a face a face com mudanças, escolhas e com John, o rapaz que amava em segredo desde a infância, em um encontro que os levará a desvendar o verdadeiro sentido do amor, da vida e da importância de fazer cada instante vivido valer a pena. Em uma tortuosa e apaixonante jornada, Anna descobrirá a força de uma grande amizade, a dificuldade de se conquistar o coração de uma criança e, acima de tudo, o poder transformador do amor, naquele que será o melhor e o pior outono da sua vida.
O que posso dizer? Amo romances! Então esperava boas coisas desse livro. Porém ao prosseguir na leitura descobri que a história era muito mais que um “simples” romance. Era uma história linda, de amor, de carinho, de amizades, de perdas, de crescimento e principalmente de recomeços. Renascimento. Como o próprio título nos sugere.
Apesar de a protagonista Anna ser bem jovem, ela já começa a contar com alguns percalços do começo da vida adulta, como a não aprovação no vestibular para Veterinária, que tanto sonhava e a perda do emprego, que a mantinha na cidade. Mas nem assim ela desanima, e esse foi o ponto alto da personalidade dela. Anna Hills nunca desiste! Foi o que ela me transmitiu. E mesmo triste ou chateada ela segue em frente, ela recomeça.
E quando surge o emprego de babá ela não imagina que essa experiência mudará a sua vida para sempre. Lá, Anna conhece Ricardo, que se transforma num grande amigo, e Lauren, uma criança presa em seu próprio mundo de dor e solidão. Nessa nova jornada Anna reencontra um amor de infância, Jonathan, que ela imaginava ser uma paixão platônica e vive momentos de intensa felicidade.
Gosto da escrita da autora, é muito envolvente e apaixonante. Não tem aquele mimimi de alguns romances açucarados e melosos demais. Até tem um pouco, mas não chega e incomodar. Também não tem aquelas cenas calientes de alguns romances que são sucesso por aí....Os acontecimentos são doces e singelos e fluem tão naturalmente que é impossível parar de ler até chegar no final. Daí quando chega no fim, a gente fica triste porque acabou....
Ainda não li o Quero ser Beth Levitt, outro livro da Samanta Holtz, mas notei (depois de ter lido O pássaro) um certo padrão de escrita bem peculiar, que se eu contar vou dar spolier, então leiam e matem a curiosidade!
Apesar de ter achado o desfecho um pouco corrido e a relação da Anna como o Ricardo um pouco incomum e que poderia ter sido melhor desenvolvida do meio para o final do livro, a lição que a história me passou é que devemos sempre enxergar possibilidades, até na mais fria e dura derrota. Devemos nos manter otimistas e acreditar que podemos sempre recomeçar.
Então acredito que se algumas coisas que “me incomodaram” na leitura foram tranquilamente superadas pela mensagem de fé e otimismo que a história me transmitiu.
Quero deixar claro que não sou resenhista, logo o que escrevi aqui foram as minhas impressões sobre o livro. Claro que já li coisas negativas e outras positivas, e como eu falei, achei o final um pouco corrido.....mas como o que me chamou a atenção foi a "mensagem" que a autora quis nos transmitir, esses pormenores não me incomodaram.
Super recomendado! E ah, achei essa capa linda!

Crédito:  Uma Leitura a Mais


Victória

Ame os outonos!
A mais nova obra da escritora paulista Samanta Holtz, Renascer de Um Outono, apresenta uma trama atraente e original, que leva o leitor em páginas e mais páginas de uma talentosa escrita até um final inesperado e nostálgico. Afinal, quem não tem incríveis e terríveis lembranças do outono?
Samanta é autora de mais dois livros de muito sucesso: O Pássaro e Quero Ser Beth Levitt. Abro um parêntese para avisar que os dois estão na minha lista(ona) e que seria muito legal ganhá-los de algum bom samaritano. Enfim, quando essa moça linda e super fofa publicou em suas redes sociais que lançaria mais um livro durante a Bienal do Livro de 2014 - notaram que usei o nome desse evento em quase todas as resenhas recentes? -, criei uma expectativa muito grande quanto ao Renascer. Bem, posso começar essa resenha dizendo que eu poderia criar as maiores esperanças do mundo, que, de qualquer forma, esse romance maravilhosamente belo superaria todas elas.
A trama narra a vida de Anna Hills, uma garota de Mountain Valley, Movva, para os íntimos, que mora em Icefall - ambas são cidades fictícias. Sua vida está uma catástrofe, já que foi demitida do emprego (mais uma alívio que uma preocupação), não passou para o sonhado curso de Veterinária e perdeu a mãe recentemente. Nada parecia empolgá-la a mudar de vida, até que a demissão do emprego e um encontro surreal com uma família pobre na rua (longa história), fazem-na abrir os olhos e enxergar sua necessidade de dar um jeito na sua situação. Foi por meio de um anúncio de classificados de um jornal que Anna descobriu a possibilidade de ser a baby sitter (babá, para facilitar) de Lauren, uma complicada garotinha de uma história ainda mais complicada que vive com seu tio, Ricardo. Só mais tarde Anna percebeu que, estranhamente, o cara da banca de jornais deu-lhe um jornal de dois anos antes - só quem ler o livro entenderá a importância desse "engano" para a história.
Tudo parecia perfeito, afinal Anna conseguira um emprego em uma casa muito boa, ganhava bem e tinha um chefe para lá de bom, que até permitia que ela fosse à sua cidade natal visitar a família. No entanto, como rapadura é doce mas não é mole, Lauren, a garotinha de quem Anna tem de dar conta, é a complicação em pessoa. Muitas outras babás haviam sido dispensadas por não conseguirem lidar com a menina, que não faz esforço nenhum para esconder sua apatia por Anna. Além disso, por conta de uma (in)feliz coincidência, Anna é forçada a conviver com John, seu amor platônico de infância. Muitos sentimentos de muitas pessoas ameaçam desestabilizar as estruturas já ameaçadas das vidas de personagens que tem a humanidade como melhor amiga e inimiga. Os fatos se encaixam lentamente, até que Samanta Holtz conclui seu quebra cabeça com uma maestria admirável. O leitor tem suas emoções afloradas por todo o corpo, enquanto essa escritora excepcional não hesita em brincar com os sentimentos de ninguém.
Minha primeira obervação é a curiosa escrita de Holtz. Logo nas primeiras palavras percebi um potencial empolgante da autora para desenvolver uma boa história e guiar nela o leitor sem problemas. Porém, enquanto as páginas voavam, notei que a coisa era mais profunda. Essa moça tem um talento maravilhoso; sua escrita flui sem esforço, já que o leitor não se sente obrigado a continuar a leitura. As folhas simplesmente foram passando e eu não tive a noção do quanto eu estava lendo. O melhor é que, ao final do livro, eu poderia abri-lo em qualquer página e ler uma fala que eu já me lembrava de que cena se tratava. A história gruda na nossa cabeça e de repente nossa vida corre no mesmo ritmo que a de Anna. Eu via Ricardos, Laurens, Johns, Raqueis quando olhava para algum amigo. Extremamente envolvente!
A narrativa é em primeira pessoa e interage com o leitor. Anna soube narrar muito bem seus sentimentos, dúvidas, medos e lembranças. O jeito apaixonado e sensível da visão dessa personagem tornou a leitura mais leve, em meio a tanta tensão presente na trama. Além da protagonista, os outros personagens também ganham e merecem destaque pela minuciosidade de suas particularidades. Quando penso no John, por exemplo, não vejo onde enxergar a frase "ele me lembra fulano". Cada um tem seu jeito de ser, de pensar e de agir. Holtz ganhou meu respeito por criar pessoas tão humanas, que tem seu lado bom e seu lado negro, que erram, erram, acertam, choram, se desesperam, complicam a própria vida... E toda essa humanidade não fica pesada, já que, retornando ao início, a narração de Anna é leve.
Honestamente, esse enredo é um dos melhores que já conheci. Num mundo literário onde cada história tem o rabo de alguma outra, Renascer de Um Outono se destaca por sua originalidade e singularidade. É impossível pensar em um livro que, ao lê-lo, tenha um flash da obra de Samanta. Isso, claramente, se deve ao valor inestimável de verdade, sentimentos, humanidade e paixão que a autora reuniu em seu livro. Ele já começa impactante, alertando o leitor por meio da história desconcertante da protagonista o estômago que terá de ter para resistir ao restante. O meio é composto por reviravoltas completamente inesperadas e de fazer arregalar os olhos. E o final, bem, embora possa se esperar um pouco que aquilo aconteça, o alívio que se tem no coração pelas coisas que finalmente andaram e o lamento pelas que não foram muito bem como o esperado fazem tudo ter valido a pena.
É importante ressaltar também a importância que certos fatos aparentemente sem peso têm sobre a história. As cenas onde, por exemplo, a mãe de Anna a visita, fazem o leitor prender a respiração e simplesmente aproveitar o momento. O que estou querendo dizer, é que os detalhes presentes no enredo, até aqueles bem pequenos, moldam o livro e o deixam mais atraente, gostoso de ler e especial. Gostei desse sensibilidade da Sam para contar as manias e segredos de cada um até porque, relembrando, a narrativa fica a cargo de Anna.
Logo nas primeiras páginas, nas considerações da autora, ela afirma que deu tudo de si nesse livro. Bem, essa resenha prova que foi exatamente assim, certo? Ela conta que revisou cautelosamente a obra. É verdade. Sabe o deleite que o leitor tem quando não encontra nenhum erro de revisão no livro? Nenhum? Me senti contente e realizada ao ler um livro onde não há errinhos bestas de deixar o cabelo em pé. A capa está muito linda e atraente e esse título sugere muito sobre o que aguarda Anna Hills e o resto da prole. A diagramação está muito linda; destaque para os detalhes que têm nas folhas, lembrando o outono. Parabéns Novo Século! Arrasou!
Conheci a Samanta na Bienal de Sampa. Vê-la ao vivo me emocionou muito, pois ela é uma mulher para se espelhar e querer ser igual quando crescer. Não sei se ela ainda se lembra de mim, mas caso se lembre, sou a estranha garota que sonhou que ela tinha dez metros de altura e me punha em seus ombros. De qualquer forma, conhecer a mulher que deu forma a esse romance incrível fez de mim uma leitora realizada. Muito obrigada pelas horas de valor inestimável que você me concedeu, Sam. Os leitores de todo o Brasil têm orgulho de poder dizer que você é brasileira, é nossa! Já quero o próximo livro - e os dois primeiros.
Bom, para finalizar, queria dizer que Renascer de Um Outono é um livro para se refletir sobre a vida e ler sempre. A história de Anna emociona e incentiva o leitor a ajeitar sua própria vida, faz com que ele deseje viver emoções como as dos personagens. Sempre que olho o livro na prateleira, sinto saudade de como me diverti e me envolvi com aquela galera. Aliás, um continuação seria uma ótima, mesmo que o livro não tenha pontas soltas. Quando leio Renascer, automaticamente, penso numa renomada escritora escrevendo escondida num casarão inglês - ou numa mansão de Ricardo da vida. Leiam esse livro e descubram mais sobre o ser humano; mais sobre a vida!

Crédito: O Mundo Secreto da Vick

Quem não aprendeu com essa história? Quem nunca sonhou em viver um amor como os vividos por Anna?
É impossível não se emocionar! Beijos galerinha :*

[Especial] Samanta Holtz - 25. Depoimentos dos Leitores | Quero ser Beth Levitt

25 abril 2015

Amie tem um coração tão puro que com certeza contagiou muitos leitores. Sua garra e perseverança, mesmo quando parecia estar sozinha no mundo, fez dessa história a minha preferida. Seu amor pela dança, pela família/ amigos e pela história que sua mãe sempre lia pra ela, conquistou o coração de muitos leitores.

Vamos conhecer então os depoimentos dos leitores de Quero Ser Beth Levitt.




Ricardo

Resenha para o blog Over Shock
Desde que perdeu os pais, Amelie Wood vive em um abrigo de meninas. Quando finalmente completa dezoito anos, a garota precisa encarar o mundo e ir atrás dos seus sonhos. Sua única companhia é um exemplar antigo do romance “Doce Acaso”, que conta a história de Beth Levitt, uma jovem que amava balé e que teve sua vida mudada após conhecer o príncipe Edward.
Encantada pela história de Beth Levitt, Amie tem o desejo de também encontrar o seu príncipe encantado e, assim como a sua personagem favorita, quer ter sua vida transformada. Ela só não imaginava que os acasos da vida acabariam a levando ao mundo do cinema e que, a partir disso, seria preciso encarar a maldade de algumas pessoas que estão dispostas a atrapalhá-la em sua caminhada.
“Acarinhou a capa do livro e sorriu. Para ela, Beth se tornara mais que a simples concepção de um escritor; era sua companheira, sua referência, sua melhor amiga. Gostava de pensar que sua vida seria como a dela: mudanças inesperadas, um príncipe apaixonado e o desfecho digno de contos de fadas” (pág. 12).
Muito se fala sobre ler até mesmo a lista de supermercado de alguns escritores, e não tenho dúvidas de que Samanta Holtz se enquadra perfeitamente nesse grupo de escritores. Muitos são os motivos para que isso aconteça, porém basta usar como exemplo a escrita da autora, que sempre transmite emoção, sensibilidade e verdade, afinal, ela fala com o coração.
Quero Ser Beth Levitt, segundo trabalho de Samanta, pode até ser um livro longo, mas seu enredo é de uma riqueza incomparável e, aliado a já citada escrita, proporciona horas prazerosas de pura emoção. Além de não ser um livro monótono, acompanhamos os altos e baixos na vida da protagonista, nos envolvendo como se fizéssemos parte da história e pudéssemos agir pelo bem de Amelie Wood.
Se passamos toda a leitura querendo se aproximar de Amie, isso se deve especialmente por ela ser uma garota simples e encantadora. Da mesma forma que a verdade na escrita de Samanta conquista o leitor, a verdade em Amie também o conquista, seja através de suas palavras ou gestos, como se criadora e criatura fossem uma só — e se fossem não seria possível estranhar.
Mas tantos pontos positivos não mudam o fato de, até certo ponto, se tratar de um livro previsível, algo natural para o gênero. Isso poderia ser considerada uma falha se tivesse sido escrito por qualquer pessoa que não Samanta Holtz. Ela tem a facilidade de contornar a situação e pegar o leitor de surpresa, sendo que esse pode acertar o que vai acontecer, mas nunca como vai acontecer. Exatamente essa característica que causa toda a emoção da leitura.

Crédito: Overshockblog 



Carol Koplin

História que nos faz sonhar...
Começo essa resenha dizendo: U-a-u! Acho que é o melhor que consigo expressar! E dizer que marquei muitas quotes maravilhosas neste livro...
"Lembrou-lhe do quão pouco realmente era preciso para ser feliz."
Amelia é um doce de menina, que apesar de perder os pais tão nova, o amor que recebeu deles foi o suficiente para abastecer toda a sua vida.
Quando chega o momento de seguir a vida adulta, é surpreendida por um caça talentos que a convida para fazer um teste para um comercial. Acontece alguns contratempos que a levam a fazer o teste de elenco para um filme. E este filme nada mais é, que a versão do seu livro favorito, aquele que sua mãe lia para ela, e que após a sua morte, foi seu companheiro de todas as noites, Doce Acaso.
Mas as surpresas não acabam por aí, no segundo teste para o pepel de coadjuvante, ela se depara com o protagonista do filme, Chris Martin. O ator famoso, que ela tem um poster colado na parede do quarto!
Além de conseguir o papel, Amie conquista a tenção do cara mais cobiçado do momento.
"Amie apertou as mãos no rosto, sentindo os olhos esquentarem com lágrimas. Estava acontecendo! Era real!"
O que falar de Chris? Posso falar que me apaixonei por ele??? Acho que não... sou casada.... meu marido não iria gostar! Mas é impossível não amar esse rapaz! Atencioso, paciente e que saber falar as coisas certas, na hora certa! Um verdadeiro príncipe!
"Você nunca mais vai se sentir sozinha, Amie. Porque eu não vou deixar."
Esse amor que acontece entre esses dois fofos não seria tão simples de viver em meio as aulas de preparo, gravações, e o contrato onde não é permitido relacionamento entre os atores. Eles então, tem que lidar com distancias obrigatórias, inveja, armações e o diretor.

"Bom é aquele que faz bem feito porque não se contenta com outro resultado além do ótimo. O resto é lixo! esbravejou, com outro murro na mesa. Alcançar a perfeição é obrigação de vocês. Estão sendo pagos para isso."
Walters, é um diretor conhecido por seu excelente trabalho e seu jeito exigente e grosseiro de tratar sua equipe. Não será fácil para Amie, que é inexperiente, lidar com a pressão e gritos desse homem assustador.

Eu gostaria falar de todos os personagens que me cativaram com sua personalidade incrível, mas minha resenha ficaria maior do que já está ficando. Então, vou falar só de mais uma: Dalva, a professora de balé da Amie, que se tornou sua melhor amiga. Uma mulher mais madura que Amie, mas com uma alma tão jovem quanto ela. Muitas vezes, eu a imaginava como uma adolescente por causa de sua empolgação. Com sua ousadia, dava vários "empurrões" para que Amie se achegasse ao Chris. Uma amiga confiável, animada e muito amorosa. Vê-las interagindo, principalmente nos momentos que havia dança, foi bom demais!
Doce Acaso ficou gravado em minha memória! Como queria ter aquele livro em minhas mãos para ler! E a música tema? Linda, linda! Queria ter essa música na minha play list! Mas só existe no mundo que Samanta criara ´para Amie. Que peninha...
"...Se estou feliz
Ou se estou triste
Eu te procuro
Pois em seus olhos
Eu encontro a minha paz
E em seus braços está
Meu porto seguro"
Foi a primeira obra da Samanta Holtz que eu li, e já me tornei fã! Ela tem uma escrita maravilhosa que nos faz ler sem parar. Os personagens foram criados com tanto cuidado e vivacidade, que me faziam ter todo o tipo de reação durante a leitura.
A editora está de parabéns pelo carinho que tiveram com a diagramação e com a capa... apaixonei-me pela capa desde a primeira vez que vi a divulgação do livro!
Sem dúvida, eu recomendo a leitura de Quero ser Beth Levitt. Você conhecerá personagens que te farão rir, chorar, sonhar e refletir muito com toda a experiencia que eles transmitem.
Uma linda história de amor que te fará suspirar...

Crédito: Citação num Click



Nicole Kloss

Sou uma eterna crente da possível existência de contos de fada da vida real. E "Quero ser Beth Levitt" me deixou ainda mais convicta de que existem sim, finais felizes, e reais, mundo afora. Ainda que eles sejam transmitidos a mim em forma de ficção, esse romance da autora brasileira Samanta Holtz me fez enxergar a possibilidade de um "feliz para sempre" onde quer que você esteja.
Amie acabou de completar 18 anos e saiu do orfanato onde passara tantos anos acolhedores com aquelas pessoas que a ajudaram após a morte da mãe, anos depois que seu pai também havia partido. Quando ainda está se ajustando em sua nova vida, Amelie recebe a oferta de participar de uma campanha publicitária que acaba colocando-a em um papel num filme que dará vida ao seu livro favorito, e a moça ainda poderá praticar uma de suas maiores paixões: a dança.
Os personagens são interessantes e especiais à sua maneira, cada um tendo suas peculiaridades e características marcantes que me conquistaram e me fazia ansiar por sua próxima aparição no desenrolar da trama. É esse "elenco" somado ao enredo da história que me fizeram enrolar a leitura por algum tempo a mais do que eu iria levar, apenas porque não queria parar de saber mais sobre a história que me fascinara, e definitivamente, não queria que ela chegasse ao fim.
Esse é um livro com aquela mistura boa de todos os sentimentos que devem ser despertados durante uma leitura, além de trazer consigo uma bela mensagem. É uma história singela, que pode conter sim alguns clichês, mas escritos de uma maneira tão impecável que só te envolve mais com a história e faz se apaixonar cada vez mais por essa publicação única.
"Todo mundo pensa que a saudade é o pior. Mas a saudade que mais dói não é a do que já foi, e sim das coisas que nunca virão. Do que poderia estar acontecendo agora."

Crédito: Teens Books



Marcela

Um conto de fadas moderno.
Encantador, doce e extremamente capaz de fazer renascer aquela menina sonhadora dentro de nós.
No início da leitura, quando vi como as coisas começaram a encaminhar para que Amie realizasse um grande sonho, me senti um tanto revoltada e cética. Se tem algo que a vida faz questão de esfregar na nossa cara quando começamos a crescer é que contos de fadas não existem!, como as coisas poderiam começar a dar tão certo assim de uma hora para outra? Mas não demorou muito para eu me pegar totalmente envolvida com a história, realizando uma leitura frenética e torcendo por Amie como quem torcer pelas próprias realizações — e, claro, percebendo que mesmo para ela, as coisas não estavam tão fáceis como pareciam.
Foi aí que percebi uma das reflexões levantadas pelo romance: por que acabamos deixando que o mundo endureça nosso coração? Por que me sinto mais confortável lendo livros de terror, suspense policial ou os novos romances dramáticos onde o casal principal nem acaba junto?
Com esses questionamentos pude me reconhecer em Amie. Apesar de todos os conselhos que ouço e de todas as evidências que o mundo me dá sobre "não valer a pena", eu sempre carrego aquela menina romântica e sonhadora dentro de mim. Ela se machuca por vezes e mais vezes, buscando com todas as forças manter uma armadura aparentemente impenetrável. Mas, no fundo, acredita que um dia sua vitória chegará e poderá, finalmente, ser a protagonista de sua própria história.
Amie me ensinou que vale a pena acreditar e apostar nisso.
Samanta Holtz tem uma escrita incrivelmente envolvente. É uma escrita doce e romântica, lembrando bastante os contos de fadas clássicos, mas sem perder a informalidade atual — o que ajuda em sua fluidez. Li 544 páginas em poucos dias, mesmo em meio à rotina corrida. E se a história tivesse mais 300, continuaria a leitura com o maior prazer!
Esse livro entrou para minha lista de favoritos e, em especial, para a minha lista de opções para presentear alguém querido. Acredito que dar esse romance de presente seria bem mais do que uma lembrancinha qualquer; seria um elogio ao coração e à sensibilidade daquela pessoa.

Crédito: Vivendo 1001 Vidas



Lu Zuanon

A história é protagonizada pela Amelie Wood uma garota de 18 anos que após atingir a maioridade deixa o abrigo seguir em frente com a sua vida. Num primeiro momento ela se sente absolutamente só e logo vai perceber que fora do abrigo nem tudo são flores.
Certo dia tudo muda quando o destino reservou uma grande surpresa. Amelie se vê fazendo um teste para o elenco do filme "Doce Acaso", que terá como ator principal ninguém menos que o galã de cinema Chris Martin.
Enfim, depois certo empurrãozinho do destino, aquela jovem que não tinha experiência nenhuma passa a fazer parte de uma grande produção cinematográfica. De uma hora para outra Amelie se vê envolvida com pessoas, invejosos e sem caráter, mas também encontra amigos em todos os momentos importantes.
E neste cenário que em pouco tempo a doce e ingênua Amelie se torna uma pessoa que nunca sonhou que seria mantém a paixão platônica pelo Chris Martin. Amelie é sempre agradável, gentil com todos e com Chris tem uma relação construída na base de confiança, amizade e honestidade com tal intensidade, que tem a certeza de algo: Ele é o seu príncipe encantado. É impossível não cair de amores pelo Chris, além de lindo é carismático e encantador. Em todos os momentos sempre teve boas intenções. Ele é facilmente apaixonante e não o interessante é que não é indiferente, mas a vida deles está longe se ser um verdadeiro conto de fadas, algumas pessoas insistem que são completamente diferentes despertando assim ciúmes e cobiça.
Poderá uma relação que nasceu num cenário fictício entre eles se tornar real? E, claro, que sim, mas há obstáculos, e o casal ainda passa por um turbilhão emoções.
Eu sei, que a história se torna um pouco previsível, mas Isso não é algo que irá comprometer a leitura porque Samanta Holtz com toda sensibilidade conseguiu criar personagens simpáticos e cativantes, com acontecimentos marcantes que vai render uma boa leitura!
Por isso posso dizer alegremente que as minhas expectativas foram atingidas. E para que vocês saibam, começou exatamente assim; emocionando-me a partir da dedicatória, agradecimentos e prefácio (risos).
A História é narrada na terceira pessoa, possui uma capa linda e a diagramação eu gostei bastante, principalmente a forma como cada capítulo se inicia, sempre com um “quote”.

Crédito: Apaixonada por Romances


Lindo né?
As histórias da Sam, suas palavras, alcançam mesmo muitos corações.

[Especial] Samanta Holtz - 24. Depoimentos dos Leitores | O Pássaro

24 abril 2015

 A Caroline de O Pássaro é tão encantadora que conquistou o coração de muito leitores, fazendo com que muitos de nós aflorasse o desejo pela liberdade, por ser quem somos, sem amarras ou esteriótipos a seguir... 

O mais lindo é que ao serem convidados, as respostas eram sempre as mesmas:
"- Adoro a Sam e os livros dela, será um prazer participar!"

Então confiram agora o depoimento de alguns fãs sobre O Pássaro.





Patricia Rezende


"Quando a tristeza cresce dentro da gente, ela precisa sair. Senão, não sobra espaço para a felicidade." Pág.317Bom, como começar a falar de um livro tão especial?A história se passa em 1227. Caroline mora num castelo feudal com o pai, que é muito rígido; a mãe muito submissa e a irmã, igualmente mal tratada pelo pai. O fato é que Caroline Mondevideu tem personalidade forte, nunca gostou de seguir as regras impostas sobre ela.Certo dia, um novo empregado chega ao feudo para cuidar dos cavalos novos, e com ele leva seus dois filhos. Um deles, Bernardo, é um pouco mais velho que Caroline, que ainda é criança, e na primeira conversa dos dois, o garoto planta a duvida em sua mente: por que nem todas as pessoas tem os mesmos privilegios que ela? Por que ela tem que viver presa, ser destinada a casar com alguem mesmo sem querer?A partir daí, Caroline tem o desejo de se ver livre.Anos depois, ambos já estão maiores e reencontram-se no feudo. Com pouco tempo, já não suportam ficar perto um do outro. Caroline representa tudo o que Bernardo detesta- os privilégios da nobreza. Já ela o acha impertinente demais, orgulhoso.Quando então, percebem que juntos podem conseguir a tão sonhada liberdade, a única coisa em comum que os dois tanto desejavam, veem-se trabalhando juntos por um plano.
Começam as complicações: casamento marcado, mentiras, fuga, ciganos, romance, outros casamentos e segredos, muitos segredos revelados. Devo dizer que me surpreendi em algumas partes. Não só gostei da ideia, mas também da narrativa, do desenrolar da história, da capa, dos assuntos abordados no livro, do Bernardo então...Quanto ao final... não vou dizer, claro. Apenas digo que valeu a pena. Comecei a ler o livro sem expectativas boas ou ruins, apenas mergulhei na história, e foi demais!Resumindo, eu adorei o livro e recomendo a quem gosta de romances e aventuras. Espero que também sintam-se como pássaros, livres para voar, quando lerem esse livro lindo!



Crédito: Wesaysomething 




Natalia Moreno 


Um pouco de nós!
Com uma história envolvente e uma personagem cativante "O pássaro" nos faz refletir sobre o preço da liberdade.
Cada página que virei tinha uma torcida para que na próxima Caroline alcançasse seu voo...
Amor, sonhos, aventuras, repressões e desejos, são sentimentos despertados no leitor que torce para que o final seja feliz!
Apesar de Caroline, em algumas partes, me passar uma imagem de uma jovem mimada sem ter muita noção do que fazer com o que quer e não pensar nos outros - leia Bernardo - acabei por aceitar que se eu fosse ela, faria o mesmo!
Às vezes, a vida interfere não da maneira como queremos, mas, talvez, da maneira que precisamos e independentemente do que aconteça o verdadeiros amor prevalece.
Caroline reflete um pouco do pássaro que há em cada um de nós!!

Crédito: Skoob

Natalia Moreno também é escritora.

Ela já tem publicado duas obras: Quando eu me Amar e Do Caos à Esperança. Para saber mais entre em contato com a autora pelo FACEBOOK

A Natalia é uma fofa então não deixem de conhecer suas obras. 






Natalia Eiras

Resenha produzida para o blog Perdidas na Biblioteca.

Os fãs de Nicholas Sparks e suas grandes histórias de amor que me desculpem; mas quem precisa dele quando se tem Samanta Holtz?
A sinopse já conta bastante sobre a história, mas se você pensa que essa é só mais uma história de amor entre pessoas de mundos e classes sociais diferentes, você esta redondamente enganado.
Samanta Holtz não só conseguiu criar uma história de amor envolvente - eu li o livro inteiro em 24 horas, e convenhamos... ele é bem grossinho - que me manteve acordada a noite toda, como conseguiu a cada página me surpreender.
Quando você pensa: "Já vi tudo... essa história vai terminar assim...", ela te dá um tapa na cara e você pensa: "Como assim?! Isso não pode estar acontecendo? Diz que é mentira!".
Eu quase não tenho palavras pra descrever o quanto é bela essa história e como me senti profundamente tocada pelos personagens e emocionada. Pra resumir, no final eu estava chorando como um bebê.
Quando terminei o livro pensei: "Se ela escreve uma história como essa no primeiro livro; imagina o que vem por aí...". Escrever é como andar de bicicleta; a prática leva a perfeição. Mas com Samanta ela conseguiu alcançar isso no primeiro livro!!
Virei fã. Todos os livros que ela lançar terão um lugar garantido na minha estante. Inclusive, já estou com um lugar reservado para "Quero ser Beth Levitt" que será lançado ainda este ano.

Crédito: Perdidas na Biblioteca





Ana Luiza 
Uma carta de amor à vida
A velocidade com a qual devorei esse livro me fez agradecer aos céus por ter nos presenteado com uma escritora brasileira tão... magnífica. Samanta não escreveu um livro, ela recolheu gotas de amor e as derramou nessa estória. Após ler “Quero Ser Beth Levitt” e me deparar com tamanha graciosidade, doçura e talento, mal podia esperar para me deliciar com mais de Samanta e sua escrita tão linda. Confesso que no início do livro eu pensava: será que vai ser tão maravilhoso quanto o outro que já li? E como leitora exigente, virava cada página procurando um erro, um deslize que me desconectasse da estória, que me desapontasse, que fosse “menos” do que eu esperava. E acreditem, não foi menos, foi muito, muito mais. O início do livro pode parecer leve, seguindo uma linha de raciocínio óbvia mas ao mesmo tempo deliciosa, mas dos 60% em diante da leitura, ele toma dimensões impensáveis, inimagináveis e ricas. A criatividade da autora é refinada, sem mais. É doce, inteligente, humana, sensível e sábia. A Caroline que inicia o livro em busca dos desejos de seu coração, desafiadora, machucada e impulsiva, se vira do avesso no decorrer da estória, e ao virar a última página do livro apenas um pensamento vem em sua cabeça: Parabéns Caroline, parabéns Samanta!
É encantador a maneira com a qual o amor é retratado na trama, simplesmente divino. Você ama alguém? É claro que ama, todo mundo ama alguém mesmo que ainda nem tenha conhecimento disso. Mas o que é realmente a força desse sentimento quando TODAS (e digo realmente todas) as barreiras são impostas e a única coisa da qual você pode se alimentar é o calor que sente dentro do coração? Como ultrapassar barreiras físicas para atingir verdadeiramente algo tão abstrato? Quantas pessoas tem essa chance na vida? Poucos são os sortudos. Enquanto lia, imaginava os inúmeros caminhos pelos quais a autora poderia me levar e não acertei nenhum deles. O livro é uma imensa caixa de surpresas banhada em amor. E as páginas finais são... simplesmente delirantes. Eu via a quantidade de folhas diminuindo em minha mão e não conseguia pensar numa saída feliz, me sentia sufocada juntamente com a mocinha da estória e sim, o final é realmente esplêndido, a autora conseguiu transformar uma coisa estrondosa em algo tão belo, tão elevado, tão perfeito.
Às 4:30 da manhã eu terminava uma estória que me daria um grande ensinamento, lágrimas escorrendo pelas bochechas e a uma certeza fundida ao meu coração: o amor é eterno! Hahaha Samanta, muito obrigada por dar à luz tamanha perfeição! Você superou todas as minhas expectativas e me engrandeceu como pessoa, seus livros são uma benção e esse é incrivelmente romântico e grandioso, repleto de amor à vida.
“Ela sorriu, reproduzindo as palavras dele com os olhos semicerrados: “Foi meu sacrifício por você. Meu jeito de fazê-lo saber que o amo.”

Crédito: Skoob

Caroline deixou muitas pessoas emocionadas. A lição que ela nos ensinou, não foi fácil aprender. Mas com certeza será uma lição que levaremos para sempre em nossos corações.
 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo