[Resenha] Festim das 12 Cadeiras - Elvis DelBagno

29 julho 2015
Festim das 12 cadeirasAutor: Elvis DelBagno
Editora: Schoba
Páginas: 164
Classificação:
Sinopse: Ao comprar um conjunto de 12 cadeiras russas para o jantar anual, um casal homossexual descobre um tesouro embaixo do estofado de uma delas. Com as contas bancárias transbordando, os milionários resolvem manter o tesouro na cadeira e doá-lo ao primeiro convidado que se sentar nela. No entanto, eles percebem que isso será um problema quando um dos convidados não comparece ao jantar. Estruturando-se nas comédias de costumes, nos deparamos com uma crítica social de um humor ácido extravasante dos diálogos preconceituosos dos personagens mais bizarros que poderiam surgir numa sociedade cheia de interesses.
Festim das 12 Cadeiras foi adquirido através da parceria com a Editora Schoba. 

Uma noite que reúne em uma só casa as pessoas mais improváveis e que tem de tudo para dar errado. Preparados para conferir?

Um tesouro. É a partir daí que começa a história na casa de Laerte e Carlão, um casal um tanto esnobe que gosta e mostrar o que tem. De uma ideia simples, que seria presentear o convidado  que se sentasse na cadeira premiada com esse singelo tesouro, se tornou a cada minuto que se passa em uma confusa dança das cadeiras. De fato um festim das doze cadeiras.  

A cada instante que se passa uma novidade que pode estragar o não tão elaborado plano de Laerte e Carlão aparece no enredo. Intercalando capítulos entre a noite do jantar e a vida de cada convidado, recheado com os segredos mais sórdidos e inconfessáveis. Nessa roda até temos um padre que há muito para revelar.
Personagens extremamente sem noção -a única forma que achei para descrevê-los- um leque que há de tudo, mistura diversos preconceitos em uma história que se encontra o casal gay, o padre, a religiosa extrema, o depravado, a tia gorda e virgem entre outros, cada um com o seu nome e que ao ler o leitor irá conhece-los mais de perto.

Insano e irreverente, tudo isso em um só livro de poucas páginas. Uma história narrada pelos olhos de um cineasta, cheio de detalhes e referências da cultura contemporânea.Com ironia e sarcasmo o autor trás essa história até nós e que ao fim pensamos: - Peraí, ele pode fazer isso mesmo? Vai terminar assim? Surpresos? Pessoalmente recomendo para maiores de 18 anos.

A capa me chamou bastante atenção, eles capricharam na arte. Muito linda.
  "É sempre bom ver seres inferiores para saber o quanto evoluímos até o momento - por isso os franceses visitam o Brasil, para admirar as favelas, por exemplo."
"Mas as coisas às vezes não precisam de intervenção. Deixe o destino escolher. O destino é bom nessas escolhas"






Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
10 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

10 comentários:

  1. Nossa, realmente, eles arrasaram na capa. O que me chamou atenção em todo o livro foi a capa e o título. Super interessante. Acho que vou providênciar o meu <3

    Abraços e sucesso,
    http://decada-errada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi exatamente essas duas coisas que me fizeram escolher esse livro, eles estão de parabéns!
      Obrigada pelo carinho :D

      Excluir
  2. Eu estou doida nesse livro! Ele parece ser muito bacana e a edição está lindíssima! E eu adorei o aviso de por ta que eles te mandaram hahaha.

    Zona de Conspiração | Facebook da Zona | Canal do Zona

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, eles foram bastante criativos na arte da capa e no aviso de porta. O que tenho a te dizer: Seja bem vinda ao Festim das doze cadeiras e surpreenda-se com os convidados. Me conta o que achou do livro quando lê-lo
      Beijos.

      Excluir
  3. Ja tinha visto outra resenha desse livro.
    E como não poder se interessar.
    Fiquei ainda mais interessada!!!

    http://devoreumlivroeoufilme.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que se interessou! Esse livro é diferente de tudo que eu já li, é bastante escrachado e com um humor bastante ácido. Foi um desafio de ler algo tão diferente do comum.

      Excluir
  4. Oi, Thamires! :) Muito legal você ter conseguido entender o humor ácido do autor. Qualquer um que não conseguir enxergar a ironia de muitos trechos da obra, vai ficar espantado. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só a Schoba por aqui!
      Que excelente visita Luciana :D
      Exatamente, por isso achei que 18 anos seria uma idade adequada. O jeito escrachado que ele escreve tem o intuito de realmente criar uma reação no leitor. Para mim ele quis mostrar que todos nós sofremos e/ou temos preconceito

      Beijo grande.

      Excluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo