[Resenha Cinematográfica] Como Eu Era Antes de Você

27 junho 2016
Data de lançamento: 16 de junho de 2016
Direção: Thea Sharrock
Gênero: Drama/Romance
Sinopse: Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.




Mais um filme riscado da lista. Esse ano está sendo sem dúvidas o ano que eu mais fui ao cinema. São muitas adaptações e diversas continuações em cartaz e estou com a agenda cheia de marcações até o fim do ano. Não teria como eu deixar de assistir esse sucesso literário da queridinha Jojo, ainda mais quando no elenco tem a Emilia Clarke e o Charles Dance (de Game of Thrones) e o Matthew Lewis (queridíssimo Neville Longbottom de Harry Potter).

Esse filme já faz você entrar na sala de cinema na expectativa de se debulhar em lágimas e apaixonar-se pelos personagens. Que fique claro que não li o livro -ainda- logo a minha opinião é meramente de uma espectadora.

Logo de início mostra rapidamente o que houve com o Will, o enfadonho dia de seu acidente (não é spoiler), não mostra muito da vida dele como era antes do incidente mas sabe-se que ele era empenhado em esportes radicais e fazia todo tipo de aventura. Depois de vários meses de tentativa de recuperação e fisioterapia (que não é mostrado no filme) Louisa Clark que está a procura de emprego acaba sendo escolhida para ser sua cuidadora.

Logo de início Will mostra ser uma pessoa totalmente ríspida com a tímida e tagarela Louisa, agindo como um menino mimado. Lou com seu jeito extremamente peculiar de se vestir e a sua falação sem fim, depois de um tempo consegue conquistar a confiança e uma certa amizade com Will, mas ele tem uma data definida na sua vida que ele mesmo marcou. Para ele não há sentido em ter uma vida ser propósito e sem perspectivava, já Louisa não compartilha essa mesma opinião.
"Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível."
Faça valer a pena. Lou viu-se na obrigação de mostrá-lo que ainda havia motivos para viver, que poderia faze-lo mas de uma forma diferente. Ele teria que conhecer o mundo novamente. 
Singelo e delicado. Não achei um filme triste com ênfase na dificuldade de um cadeirante ou coisa do tipo. Mas sim uma história de descobertas e redescobertas, de criar laços e  de reflexão do que você vê e vive. É tocante e bastante emotivo, não me fez chorar, não mesmo! -mas eu não sou parâmetro para isso, não sou de me emocionar facilmente- mas me fez sair do cinema com centenas de questões e indagações em minha cabeça: E se eu estivesse no lugar dele? E se eu fosse ela, uma menina apaixonada?  

Pessoalmente sempre me perguntei se a pessoa que é capaz de tirar a própria vida seria muito covarde ao ponto de não conseguir encarar a realidade de viver ou se é extremamente corajosa de ter forças e coragem de conseguir fazê-lo.

O filme é cheio de momentos leves que fizeram todos rirem na sala de cinema, e o sorriso do Will? Ah, aquele sorriso! Fez muitas pessoas suspirarem, mas também com o ~divo Ed Sheeran na trilha sonora e quase covardia você não suspirar em cenas como essas.
Amei a forma que Emilia Clarke interpretou Lou, cheia de caras e bocas, deu uma singularidade ao personagem marcante e sem dúvidas fiquei com vontade de ler o livro.


De longe a minha melhor frase:
"Não pode mudar o que as pessoas são.
E o que eu posso fazer?
Amá-las"


Qual foi a opinião de vocês sobre o filme?
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
5 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

5 comentários:

  1. Fui assistir e logo depois decidi ler o livro, é maravilhoso, lindo e terminei chorando em ambos...
    Http://guriadopudim.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então não foi a única! Apesar de não ter chorado, vi que algumas pessoas no cinema se emocionaram bastante.

      Excluir
  2. Compartilho da mesma opinião sua querida, eu não chorei no filme e nem no livro, gostei muito da história dei boas gargalhadas e adorei as meias dela.beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim! As meias! Bem a cara dela. Exóticas.

      Excluir
  3. Compartilho da mesma opinião sua querida, eu não chorei no filme e nem no livro, gostei muito da história dei boas gargalhadas e adorei as meias dela.beijos.

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo