[Resenha] O Quarto Dia - Sarah Lotz

01 junho 2016
O Quarto DiaEditora: Arqueiro
Gênero: Ficção/Suspense
Páginas: 346
Classificação: 
Sinopse: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis...Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.
As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis. Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.
Aviso aos leiores! Esse é o tipo de livro que você vai querer obrigar o seu amigo a ler para saber se ele entendeu a história! Quem leu Caixa dos Pássaros vai entender

Um enorme cruzeiro de fim de ano com centenas de pessoas prontas para festejar, mas não é apenas isso, algumas dessas pessoas há motivos claros e específicos nesta viagem para desempenhar: um crime, um último adeus à vida, fuga, negócios -até que tudo começa a dar errado-. Neste suspense você é levado para dentro do navio desde os seus primeiros dias de uma viagem calma e tranquila até o ponto em que tudo começa a ir "quase que literalmente" por água abaixo. O livro é dividido em capítulos que são direcionados a alguns personagens específicos. Mas posso dizer que parte da trama é quase que sugada para a personagem paranormal. Celine, que está no cruzeiro à "negócios", para fazer apresentações para o seu público intitulado de Amigos de Celine onde ela entra em contato com entes queridos. Maddie, a sua assistente pessoal sabe que não passa de um farsa, até por que ela mesma contribui para coletar dados das pessoas que farão parte do espetáculo.


Quando coisas estranhas começam a acontecer no navio e uma menina é encontrada morta em sua cabine seguido de um incêndio misterioso que faz a embarcação parar e ficar sem contato algum com o exterior, a desordem aos poucos toma conta dos passageiros e tripulantes que ficam à deriva sem informações, com comida escassa, um vírus assolando as pessoas e as deixando doentes e para piorar boatos de que há um espírito inquieto dentro do navio assombrando os corredores. Parece um verdadeiro navio fantasma dos horrores!

Dentro de toda essa loucura fica fácil de acreditar nas "mensagens" de Celine ainda mais quando o seu grupo de Amigos adeptos aumenta a cada instante que a situação se deteriora. E  o que  ajuda a Celine parecer saber o que fala? Ela começa a falar coisas certeiras que nem uma charlatã mesmo que com ajuda conseguiria fazer. E enquanto isso tudo contribui para que tudo fique de mal a pior.


Atônita! Essa foi a minha reação. A narrativa é muito instigante, a descrição é bem feita ao ponto de eu me sentir dentro dos corredores apertados do navio e sentir a apreensão dos personagens ao se depararem com "uma figura estranha". Envolvente ao ponto de a cada capítulo procurar por respostas.
Porém preciso dizer que o final que eu tanto esperava me decepcionou. O desfecho deixou-me um tremendo hiato, fiquei tão à deriva quanto o navio. Vou dizer! O final não é conclusivo, é aquele tipo de história em que você escolhe no fim em que acreditar. Há apenas um realidade -será ?- mas há duas formas de você pensar como isso acabou. Ou no fim você mesmo pensar que está tento um surto psicológico! haha

Ah, um detalhe para a capa do livro que é linda, com um detalhe com efeito de brilho além das lateral das folhas serem coloridas  o que deu um toque especial a edição. O único ponto contra é que não há aquela aba de orelha do livro.


Enfim, mesmo que para mim não tenha sido satisfatório o final, ainda assim ele é tragável. Mas o ÚLTIMO CAPITULO! Eu realmente não entendi! Não entendi o motivo de estar ali, o que ela queria dizer com aquilo? Se algum leitor leu e entendeu, por favor me explique!
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo