[Resenha Cinematográfica] Procurando Dory

13 julho 2016
Data de lançamento: 30 de junho de 2016
Direção: Andrew StantonAngus MacLane
Gênero: Animação
Sinopse: Um ano após ajudar Marlin a reencontrar seu filho Nemo, Dory tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos.

Esse foi o ano dos reencontros e das continuações... aah como é bom estar de volta com os personagens que tanto amamos. Antes que comecem a fazer as contas e indagar se eu não sou "velha" para animações, eu respondo: Não, nunca serei! E sim, esperei tempo demais para ter esse reencontro. Dito isso, vamos prosseguir.

Nem preciso dizer dos momentos fofos, por que antes mesmo do filme começar já dá pra ouvir um sonoro ''-ooow" no cinema com o novo curta da Pixar.
Esse filme vemos, bem... Dory sendo a Dory de sempre. E essa é a melhor parte. hihi Um ano depois de ter achado o Nemo, Dory começa a ter flashbacks de sua infância e a lembrar que ela tem uma família e com isso tenta entender o que aconteceu. E lá vai ela depois de anos, à procura de seus pais tendo apenas como  guia suas memórias fragmentadas.

Personagens antigos voltam as telas para essa história, como: as tartarugas e o tio Raia (senti falta dos tubarões) e outros novos super engraçados aparecem, destaque para as baleias e as focas. Além da incrível habilidade da Dory de falar fluentemente baleiês.

Esse filme fez eu perceber que se um personagem da Pixar que merecia um filme só para ela, essa certamente seria a Dory. Todo o mal entendido que ela se mete ela de uma forma ou de outra acaba saindo, e para mim isso só consegue dar certo por que ela nunca sabe direito o que esta fazendo. A inocência dela mostra a força que ela tem em sempre acreditar que tudo vai dar certo. A perda de memória recente fez com que ela sempre tivesse que acreditar no futuro incerto e em coisas improváveis,e  meio que dá certo para ela, por que é assim que ela leva a vida.

Ri bastante, torci mais ainda, fiquei mas agoniada que as crianças para que tudo desse certo e a Suzane participou da loucura, isso que dá ver em 3D. Houve algumas referências pelo filme, teve até mesmo a Marília Gabriela dublando a Marília Gabriela! 

E mais, a cada minuto que passava eu tive que perguntar em voz alta: "- Mas cadê os peixes do saco? Eu esperei muito para ver o final deles, cadê ?" Lembram do final do Procurando Nemo, aqueles peixes do aquário do dentista que fugiram para o mar aberto? Dica: Vejam as cenas pós créditos. Não achei o final deles satisfatório, esperava por mais. Mas todo o filme compensou, desde o dinamismo dos diversos cenário e os vários diálogos que me fizeram lembrar do primeiro filme. Está tudo ali, as mensagens passadas em Procurando Nemo foram reforçadas em Procurando Dory e fez muito adulto sorrir nas salas de cinema.

E não esqueça...


Tem cara de mau mais tem três corações;
"Às vezes a vida não precisa ser planejada."
Coisa mais fofa! Rechonchudinha do oceano.
Se você ainda não viu o filme, veja o trailer para ficar na vontade e corre para o cinema que dá tempo.

Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
1 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

1 comentários:

  1. A Dori é muito lindinha, estou doida para ver!
    Beijos!

    www.blogleticiapacheco.com.br

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo