[Resenha] O Sol Perdido - Luiz Henrique Mazzaron

15 julho 2016
Editora: Arwen
Gênero: Fantasia
Páginas: 374
Classificação: 
Sinopse: Erik é órfão e faz parte dos Raposas Prateadas, grupo de ladrões infame do Reino do Norte. Em meio à tensão política e econômica vigente no reino, decidem fazer o roubo do século. O alvo? O castelo real. Tudo parecia perfeito, mas as coisas não saem como planejado: a missão falha e o grupo de Erik é capturado. Seria o fim de todos, mas Aleshandra, rainha regente, revela que o rei Corben Leindrast desapareceu e propõe uma troca: a vida do bando pelo rei, ou simplesmente pelo anel real, indispensável para resolver a questão da sucessão do trono.Sem escolhas, Erik parte em uma jornada tortuosa pelas terras de Illusa junto aos Raposas e a escolta da revolucionária princesa Taíssa Leindrast, desbravando terras perigosas e enfrentando de mercenários a grandes dragões. Mal sabia ele que aquela aventura se desdobraria em algo muito maior e mais perigoso, que mexeria não só com suas crenças sobre aquela sociedade movida pelo poder e pela fé distorcida, mas também com seu coração solitário e com o destino de todos os povos.Intrigas, traições, um romance proibido e o despertar de um mal antigo permeiam a busca pelo rei, abrindo caminho para aquela que seria conhecida como a mais fantástica das Lendas de Illusa.

Hello, alguém por aí já sabe que eu amo os livros do sr. Luiz Henrique Mazzaron? Se não sabem estão sabendo agora! E depois de ler e amar Máscara, eu li e amei O Sol Perdido.

Illusa é dividida em quatro reinos, sendo uma delas o Reino do Norte, mais conhecida como Reino do Sol, liderada pelo rei Corben Leindrast e a rainha Aleshandra. O Reino do Sol era muito próspero e recebia pessoas de todas as partes de Illusa, foi assim que os Raposas Prateadas chegaram em Illusa.


Os Raposas Prateadas, são um grupo de ladrões que combatiam a oligarquia no estilo Robin Hood. Eles vivem com dificuldades na parte pobre de Illusa chamada Distrito Velho, numa espécie de esconderijo denominada Toca dos Raposas. Ao conhecer a toca acabamos por desvendar seus aposentos e tentamos descobrir o que realmente se passa por ali. Percebemos que há um mistério que pede para ser desvendado, há ação e revolta, há sentimentos de justiça e há um suposto romance.

Os Raposas roubam dos nobres, invadindo seus castelos e levando suas joias para alimentar seu povo. O grupo é liderado por Olímpio Punho de Ferro, sendo composto também por Kat, Uriel, Hugo, Ricardo, Bo e Selene, que é uma nobre infiltrada e que não gosta nada da sua vida de elite, mas o personagem principal da história é Erik que entrou no Raposas junto com sua irmã Bliss após a morte de seu pai na guerra do Sul. Erik é um guerreiro impecável, e tem uma história muito comovente e grande participação no livro.



O rei Corben parte para uma viagem de exploração de minas e desaparece, deixando sua rainha e sua filha sozinhas, dessa forma Illusa começou a passar por problemas e as camadas mais baixas da sociedade ficaram ainda piores. 

Três anos depois os Raposas começaram a planejar o roubo do século, algo que será muito perigoso, colocando a vida dos envolvidos em risco mas que trará muitos benefícios se for realizado com sucesso. Eles aproveitarão da festa de dezoito anos da princesa Taíssa Leindrast e de toda distração do reino para se infiltrar no castelo e executar seu plano. Só que as coisas não saem muito bem como o planejado e eles são pegos e presos.



Eles têm certeza de seus destinos trágicos, irão certamente morrer enforcados. Porém após dias de fome e sede vem até eles uma proposta inesperada da rainha Aleshandra, orientada por Isma, o irmão do rei: ela daria a liberdade deles em troca do anel do rei. Os Raposas teriam de partir numa busca pelo rei (ou pelo seu anel real) e trazer a certeza de sua vida ou morte. Só que o que eles não contavam era que o seu líder, Olímpio, ficaria de fora e que a princesa Taíssa iria se juntar nessa grande aventura.

A partir daí a história fica incrivelmente repleta de ação. O caminho não é nada seguro e cheio de seres bizarros e feiticeiros que tentarão impedi-los de cumprir seu objetivo. Muitos momentos me deixaram aflita e eufórica, pois adoro uma boa ação. Eu não tenho muito como explicar pra vocês porque se não perderia a graça da coisa toda, mas é um misto surpreendente de explosão de acontecimentos, se fosse um filme eu diria que se você piscasse perderia algo excitante, hehe.


E você ai? Achando que a princesinha Taíssa era uma nobre arrogante, mala sem alça e que daria mais trabalho ainda, não é?! Errou feio, a princesa é de um coração enorme, que deseja conhecer melhor seu povo e eu já a amo <3 E não é só ela, o livro é cheio de mulheres fortes, guerreiras e que impõe suas personalidades.

Aaaaaah e eu não poderia deixar de falar dessa edição LINDAMENTE MARAVILHOSA que a Editora Arwen fez. Tem ilustrações lindíssimas e a capa linda e a diagramação linda, tudo lindo, que deixa a leitura ainda mais gostosa!!!


Mas esse é um livro de quem? Luiz Henrique Mazzaron. E ele acaba como? Te deixando agonizando por mais, CLARO! Luiz, pelo amor que você tem aos seus leitores, adianta esse segundo volume PRA ONTEM!!!!

Leiam também, e sejam bem-vindos a Illusa!!!!

Suzane Cruz
Suzane Cruz, 23 anos, baiana que mora na Cidade Maravilhosa. Potterhead, bailarina e formada em Design de Interiores. Andou vivendo o que lê e precisou de companhia.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo