[Resenha] Eu sem você - Kelly Rimmer

07 setembro 2016

Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Páginas: 292
Classificação: TRÊS ESTRELAS
Sinopse: Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco. Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah.  Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la. Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer. Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida. Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.

"Não precisa ser "felizes para sempre" - felizes por enquanto serviria."
Uma história de amor que é interrompida por um drama da vida real, digo isso sem ter medo de soltar um spoiler por que o próprio título já deixa de certa forma claro. Lilah é uma mulher bem autêntica, segura e um tanto quanto hippie. Quando não está usando o seu terninho de advogada e saltos altos para defender causas ambientais nos tribunais, ela está descalça andando pelas ruas com seus cabelos soltos ao vento, assim como o seu espírito livre. Bem diferente de Callum, o típico cara de escritório que não faz muito  o estilo que gosta de natureza e atividades ao ar livre.  -Por que insistem em colocar nomes difíceis nos personagens?!-

Por um acaso típico de romances, os dois se conhecem e começam a sair juntos, e o que deveria ser o caso de um noite apenas, acaba tornando-se vários acasos que os levam a fica cada vez mais perto um do outro. Lilah deixa claro desde o começo que aquele relacionamento é apenas algo passageiro para ela e que Callum não deve criar expectativas de um futuro juntos. Já Callum, está determinado a mostrar que uma pessoa como ela tem muito mais a oferecer e que talvez um relacionamento sem rótulos seja o e eles precisam para aquele momento.

"As pessoas são mais felizes quando estão juntas. Eu sempre soube que isso era verdade, mesmo tendo escolhido ficar sozinha nesses últimos anos."
Nesta jornada de um não dar o braço a torcer pelo outro eles compartilham algo bem maior entre eles, um companherismo e aprendizado. Principalmente para Callum que começa a de fato viver o que está a sua volta, o que sempre passava despercebido por ele. Mas do que um romance, esse livro trata-se de transformação. O quanto uma pessoa pode influenciar à outra de uma forma tão profunda. 
"Ele tinha me mudado e eu havia encontrado um novo parâmetro de felicidade que eu nunca mais vou vivenciar. Saí de um mundo colorido para retornar a um preto e branco  e, apesar de eu nunca ter pensado em questionar o preto e branco antes, agora sei o que estou perdendo. "
A forma que foi escrito ajudou a história se desenrolar de maneira rápida e simples, com capítulos intercalados entre o presente de Callum -que são os maiores- e partes do diário de Lilah que te ajudam a entender o enredo como um todo. A capa não poderia descrever de maneira melhor essa trajetória na vida de ambos os personagens e ainda assim ser tão singular para representar a Lilah. 

É um romance desenhado em escala cinza. Toda essa relutância de Lilah para se comprometer com alguém além de suas causas ambientais deixa claro desde o título do livro até mesmo nos capítulos seguintes que algo está por vir. E vem com força total, e  isso ajuda a vermos além de um romance e sim um companherismo grande entre eles onde cada um mudou de maneira tão radical ao outro.
Apesar de ser um enredo clichê e em sua maioria previsível, Eu Sem Você teve um desfecho satisfatório e até mesmo uma revelação final que até me surpreendeu. Que mostra até que ponto uma pessoa está disposta a dar de si mesma para aliviar o fardo do outro. Afinal de contas o amor tem disso, não é? Sacrifícios que vão além da compreensão para aqueles que nunca vivenciaram.
"Há o amor que forma os pilares de uma vida inteira e háo amor que forma as fundações de uma vida inteira."
"Eu sempre ficava pensando se os relacionamentos podiam mesmo ser assim, que se um momento se alinhavam de maneira perfeita, você podia ficar em pé em um recinto lotado com a pessoa e sentir apenas a presença dela."

A vida é uma jornada. Você não precisa viajar, mas sempre precisa ir de um lugar para outro, se não vai estagnar.

Pensamentos são como vapor: desaparecem ao vento. Mas registrar as palavras... Bom, isso pode ser para sempre, ou perto disso... meu diário funcionava como uma espécie de bússola.
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, achei a capa dele fantástica!
    Indiquei o blog para uma TAG, assim que der, passem lá no meu cantinho!

    http://mundoliterariodacecy.blogspot.com.br/2016/09/beds-post-n-8-tag-complete-frase.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom te ver por aqui novamente e obrigada pela indicação ;)
      Vou passar por lá!

      Beijos

      Excluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo