[Resenha] O Homem de São Petersburgo - Ken Follett

15 fevereiro 2017

Editora: Arqueiro
Gênero: História | Romance | Suspense | Mistério
Páginas: 336
Classificação: 5/5 Favorito
Onde comprar: Livraria da Folha | Submarino
Sinopse: Na iminência da Primeira Guerra Mundial, a Inglaterra precisa garantir o auxílio da Rússia, e o sobrinho do czar Nicolau II está de viagem marcada a Londres para cuidar de negociações navais secretas com lorde Walden, um estrategista respeitado pelo rei que conhece a fundo o território russo.Mas há outras pessoas interessadas na chegada do príncipe Aleksei: a lha úni- ca de Walden, Charlotte, uma jovem obstinada, idealista e com uma consciência social emergente; Basil omson, o cabeça do Serviço Especial da Scotland Yard; e, acima de todos, Feliks Kschessinsky, um cruel e destemido anarquista.Enquanto as negociações secretas avançam, o destino dessas pessoas se torna inevitavelmente enredado. E, ao mesmo tempo que a Europa se prepara para a catástrofe da guerra, a tragédia pessoal de Walden caminha para um ponto irreversível.
Olha, eu preciso começar dizendo que esse livro tem uma grade possibilidade de entrar na lista de melhores do ano, preparem-se!
Apesar do Ken Follett ser um autor muito conhecido eu ainda não havia lido nenhuma das suas obras, escolhi esse para ler justamente pelo teor histórico que havia no enredo do livro. E olha... não me arrependi, expectativas supridas e querendo mais livros dele para ler, vocês sabem que quando eu gosto do livro eu não poupo elogios.


O cenário que precede a primeira guerra mundial é tenso, quando na verdade a guerra era apenas uma perspectiva não muito otimista e estava apenas nos papéis. É claro que para uma guerra acontecer ou até mesmo ser evitada muita coisa depende de tratados e alianças governamentais, é uma perfeita encenação de jogo de xadrez onde cada país tem os seus interesses e quer permanecer de pé e ser soberano. Se a guerra ocorrer, rapazes que nem sequer sabem o real motivo por trás daquilo irão morrer aos montes nos campos de batalha mas Feliks está disposto a evitar isso a todo custo mesmo que isso dependa a sua vida. Um homem determinado e que a muito perdeu tudo que tinha: a sua humanidade. Ele traça o plano para matar o sobrinho do Czar e romper de uma vez por todas as alianças entre Inglaterra e Rússia.

Mas toda essa determinação começa a se turvar quando alguém do seu passado distante, a única mulher que amou está na sua frente e casada com um dos homens que ele está disposto a matar.
"Não se importava mais com nada, nem consigo mesmo. E chegara à conclusão de que era esse o significado da ausência de medo, pois só se tem ter medo quando se é apegado a alguma coisa ou a alguém."
"Um homem que não tem medo pode fazer qualquer coisa, pensou Feliks"

Quando explico dessa forma parece que o enredo do livro é essa história em si, que por si só já é incrível, mas não, há outros enredos entrelaçados nessa história. É impressionante a quantidade de temas que Follet consegue abordar na mesma história e dando a devida importância a cada um deles. Desde assuntos como as sufragistas, pois as mulheres naquela época não tinham direito a voto e eram apenas pessoas que deveriam se preocupar em ter um bom casamento, a repressão de direito à voz das mulheres em que era dito que boas esposas não deveriam mostrar prazer ao deitar-se com o marido, à corte feita as meninas que se tornaram mulheres e deveriam ser apresentadas (como em uma feira agropecuária) à todos da sociedade e o direito à propriedade que defendia que os homens que nascem ricos são trabalhadores e os trabalhadores em si não possuíam riquezas por que eram vagabundos. 

Charlote é a jovem que levanta questionamentos incessantes como esses e que não se vê satisfeita em viver naquele mundo de porcelana em que foi presa enquanto pessoas morriam de fome e frio nas ruas e homens eram mandados para a guerra. E se rebela por ter passado toda a vida sem se quer saber de questões como essa pois queriam proteger a sua inocência, mantendo-a na ignorância. Feliks, o homem mais procurado pela polícia cruza o caminho de Charlote, mas há muito mais do que inquietação e ressentimento nesses dois.
"Charlotte sorriu. Quando ela sorria, podia-se sentir todo o seu brilho. Ela costumava ser assim o tempo todo, pensou Lydia. Quando era pequena, eu sempre sabia o que se passava em sua mente. Crescer é aprender a enganar."

Fatos históricos importantes são narrados com maestria, assim como as possibilidades de o desfecho que todos nós conhecermos ser totalmente diferente. Questões sociais são indagadas a todo momento e até que ponto um homem abre mão de sua natureza humana pelos seus objetivos. Descritivo e instigante, a história se insinua para o leitor a cada página o que torna difícil fechá-lo sem saber o seu desfecho. Ao fim faz você querer escolher um lado e não posso responder se você conseguirá fazer isso, um suspense emocionante que sem dúvida irá te atrair.
"Uma pergunta famosa. Deve-se tirar o poder dos homens que não estão dispostos a renunciar. Uma transferência de poder de uma facção para outra, dentro da mesma classe,  é chamada de golpe e não muda nada. Uma transferência de poder de uma classe para outra é chamada de revolução, e essa, sim muda as coisas."
"Farei o que for errado por você, sem a menor hesitação. Para mim, você está acima de todos os princípios, de toda política, de tudo, enfim. É isso que acontece em uma família."

Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
18 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

18 comentários:

  1. Conheci Ken Follett ano passado e já adicionei vários livros dele na lista "para ler". Adoro livros que baseados em fatos históricos.
    Bjs,
    Rafa (ohmylivros.wordpress.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse foi o meu primeiro que li dele e já quero conhecer os outros.
      Você vai gostar, pura história.

      Beijos.

      Excluir
  2. Bom dia, eu sempre julgo um livro pela capa e devo dizer que não apenas esse tem uma capa linda, mas os outros títulos do autor.
    Esse livro já está na minha lista de livros pra ler esse ano e a sua resenha veio pra confirmar esse desejo. Gosto de ler livros que se passam nesse cenário de guerra.
    Resenha perfeita!
    Beijocas 😘
    Minhas Inspirações por Sara Menezes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li e amei, uma verdadeira aula de história! Espero que tenha a oportunidade de ler. Eu vi que todas as capas dele tem esse ar de mistério, vi e já gostei!
      Thamires Vicente
      menoriasdeumaleitora.com.br

      Excluir
  3. Oieee, ler um livro do Ken Follet é achar que estamos de fato vivendo aquele momento da hist´roia né?! Ele escreve maravilhosamente bem e sua resenha ficou muito boa.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, as descrições deles são perfeitas e não são longas e chatas sabe?! Quando o livro e detalhado mas nem tanto, ele deixa aquele tantinho de espaço para a sua imaginação funcionar. Primeiro livro que li dele e achei ele incrível.

      Excluir
  4. Oi Thamires!
    Não li nada do Ken Follet tb, e já fiquei curiosa com o livro.
    Gosto bastante de histórias que trabalham a temática do pré, do pós e da guerra. São tempos negros da nossa história.
    Gostei de saber que ele trabalhou bem a questão da desvalorização da mulher naquela época e gostei da Charlotte, que me parece uma mulher forte e de caráter.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Charlotte é incrível. Por mais que ela não consiga fazer muito na posição em que ela está, ela sente-se na obrigação de saber e fazer mais.
      Se você gosta da temática esse é certamente um livro que você deveria ler.

      Beijos!

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    É a segunda resenha essa semana que fala tao bem desse livro. Agora, diferente de você, estou no time dos que ainda não leram nada do autor. Sempre fico atraída pelo teor histórico de seus livros, mas ainda não tive oportunidade de ler uma obra.
    Que bom que suas expectativa foram supridas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi, tudo bem! Letícia, eu também só conhecia o autor pelo nome mas sabia que muitas pessoas o elogiavam. Esse foi o primeiro que li e gostei tanto que já estou esperando o segundo dele que está para chegar. Estou animada para a próxima leitura.

      Espero que tenha a opotunidade de ler alguma obra dele.

      Excluir
  6. Oiii!!!

    Eu não conhecia esse livro e nem nada do autor, mas tenho curiosidade de conhecer sua escrita.
    Acho que é uma obra bem escrita e com fatos históricos que dão mais credibilidade ainda.
    Adorei as fotos!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Só posso dizer que é incrivelmente descritivo e real. Amei o autor de primeira!

      Beijos!

      Excluir
  7. Olá,
    Confesso que ainda não li nenhuma das obras do Ken, mas sempre vejo elogios.
    Fiquei feliz por saber que seu primeiro contato com a escrita do autor tenha sido tão positiva e que ele consegue abordar muito bem todo o teor histórico na trama.
    Me chama a atenção a personagem Charlote que não quer viver apenas no mundinho de porcelana!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Charlote apesar de estar por fora dos fatos como eles são ela é forte e obstinada. Eu sou mais uma para o time das que irão elogiar o livro e o autor e com certeza indico a leitura.

      Excluir
  8. Até hoje nao li nada do KEN FOLLETT, mas ainda quero mto.
    Gosto de estilo de livros dele e acho que vou adorar.
    Achei legal os pontos que vc levantou do livro e acho que vou gostar no geral.
    Vou tentar ler com certeza.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que ficou com vontade de ler. Sempre que o livro é muito bom eu tenho dificuldade de usar as palavras certas para falar o quão incrível a leitura foi para mim, espero ter conseguido transmitir na resenha que ele está super indicado
      Boa leitura!

      Excluir
  9. Oi Thamires, sua linda, tudo bem?
    Não faça isso comigo, risos... Sou louca para ler os livros desse autor, história era a minha matéria preferida na escola, e esse autor sempre traz um conteúdo histórico em suas obras. Acho que isso é o que mais me atrai. E pela sua empolgação, deve ser um livro de tirar o fôlego. Estou louca para ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi! Então somos duas, e esse livro é pra você! Vai gostar, espero que em breve tenha a oportunidade de lê-lo. Ah, o Ken Follet tem vários livros com temáticas históricas e não há uma ordem, pode começar a ler pelo que você preferir, eu comecei por esse!

      Obrigada pela visita.

      Excluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo