[Resenha] Boneco de Pano - Daniel Cole

24 maio 2017


Editora: Arqueiro
Gênero: Suspense Policial / Ficção
Páginas: 336
Onde comprar: Submarino | Shoptime | Saraiva | Lojas Americanas
Classificação: 5 estrelas + favorito
Sinopse: O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.


VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.

O quanto esperei! Não demorou para que assim que fosse lançado esse exemplar chegar em minha casa, mas eu estava bastante ansiosa para lê-lo então pareceu que demorou uma eternidade. Assim que vi essa capa sendo divulgada no instagram da Arqueiro eu sabia que eu iria gostar e corri para ler a sinopse no site e simplesmente amei.
P.S - Eu sei que a história contada e macabra e eu disse que amei, é por que eu tenho uma quedinha por suspenses policiais.


Um cadáver composto de várias partes de diferentes pessoas dentro de um apartamento devidamente iluminado, como se estivesse sendo exposto em uma galeria de arte, como se o autor daquela atrocidade quisesse que o seu feito fosse visto; uma espécie de Frankenstein humano construído com retalhos assim como um boneco de pano . E que fosse visto não por qualquer pessoa, mas por uma em especial, o detetive Fawkes que morava em frente a cena do crime. Só isso já seria o suficiente para uma história e tanto, mas não sendo suficiente o assassino divulga uma lista com as próximas vítimas que farão parte do novo "boneco".

"Tudo indica que o mais importante não seja só a vingança, mas a teatralidade da coisa toda."
O detetive William Fawkes, mais conhecido como Wolf apesar de ser reconhecido pelo seu trabalho, tem nas costas além de um processo judicial, uma internação forçada em um hospital psiquiátrico que acarretou no seu divórcio. Tudo isso foi causado por um caso antigo que ele tinha em suas mãos  de um serial killer que iria sair impune nos tribunais. E agora que está na ativa novamente, o seu nome também está na lista do que estão para morrer nas mãos desse novo criminoso e curiosamente ele parece ser o último a se importar com esse pequeno detalhe.


Depois que a lista das novas vítimas é divulgada começa a corrida contra o tempo para tentar protege-los e ao mesmo tempo encontrar o assassino, nem preciso dizer que não é nada fácil.

Devo dizer que por vezes achei que as pessoas do departamento policial que estavam no caso pareciam um tanto ingênuas no quesito de ineficiência. As vítimas vão morrendo como moscas uma a uma na frente deles, vou explicar e tentar não dar spoiler. Uma das vítimas morre por causa de um cigarro literalmente dentro da polícia, até aí okay. Depois de um tempo eles estão protegendo um cara com tendências suicidas que fuma e solta fumaça como uma chaminé dentro de uma casa com sacada e varanda. Perceberam? Um cara que queria se matar não deveria estar em um lugar que ele pode se jogar a qualquer momento e se uma das vítimas morreu por causa de um cigarro, por que arriscar deixar a outra fumar também? Se eu posso ligar os pontos por que a polícia não tentou fazer um trabalho melhor?


Enfim, esse é um dos pontos que gosto em suspenses policiais, ele instiga o leitor a todo momento a levantar questões e a tentar pensar uma hora como um expectador, como policial ou até mesmo como o assassino para entender as suas motivações.

Wolf faz de um tudo para solucionar o caso, afinal ele tem que ser o mais interessado, pois o seu sucesso para desvendar o crime significará que a sua vida será poupada. Wolf tenta avançar nas pesquisas enquanto a sua ex-mulher que é jornalista parece que está lá só para atrapalhar e fazer com que ele sempre dê dois passos para trás. O serial killer divulgou a lista primeiramente para ela e como uma boa jornalista ela faz questão de espalhar para todo o mundo não dando chances de a polícia tomar a frente, mostrando-se totalmente egoísta. E no meio disso tudo quem merece ser citado aqui é o personagem Edmunds, uma cara que fora transferido de departamento e que ninguém dá nada por ele, mas foi o único de fato que trabalhou nessa investigação. Inclusive, se não fosse por ele a história estacionaria e não desenvolveria em nada.


Instigante, macabro e de uma criatividade excepcional, Boneco de Pano tem em suas páginas tudo que um suspense policial precisa, até mesmo aquela pequena pitada de romance.  Li rapidamente durante algumas madrugadas enquanto fazia as minhas conjecturas pessoais para tender decifrar o mistério, se o assassino era alguém que já estava inserido na história ou se era um personagem que iria se revelar apenas no clímax.

Não me senti totalmente satisfeita com o desfecho, achei que precisava de um desenvolvimento melhor. Acaba que parece que a pessoa em si, o assassino, caiu de paraquedas na história, não achei muito convincente. E o chamariz do livro, o tal do boneco humano parece que é posto de lado. Os crimes de assassinato tem mais relevância do que o objetivo do assassino com aquilo tudo, ele queria matar pessoas para construir um boneco mas parece que a polícia esquece dessa segunda parte e não dá muita importância no processo pós-morte(assassinato) das vítimas. O assassino poderia ir atrás dos corpos para desmembra-los e costura-los depois do crime, não é?


Ah, primeiramente o enredo foi escrita na forma de um piloto para ser uma série de TV,  o que acabou não acontecendo e tornou-se um livro. Apesar de eu ter sentido falta de algumas coisas, Daniel Cole merece meus parabéns  levando em conta que é o seu livro de estreia. E fã de séries como sou devo dizer que PRECISA ser filmado uma série sim com esse enredo.

P.S -  Vou alertá-los! Esse é o tipo de livro que você não pode (em hipótese alguma) ler a última página antes de acabar de ler. Uma frase da última página e você já fica sabendo de tudo. A não ser é claro que você esteja querendo um SPOILER.

"Haveria alguma coisa de errado com ela? Seria natural preferir as emoções fortes e traumáticas à total falta de emoções? Talvez fossem essas as perguntas que os assassino também se faziam para justificar suas atrocidades."
Thamires Vicente
Thamires Vicente, carioca de 22 anos. "PALAVRAS são capazes de causar grandes sofrimentos e por vezes remediá-los"
3 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

3 comentários:

  1. Apesar de gostar desse gênero, não sei se pretendo ler esse livro.
    Tenho visto muitos comentários sobre ele e fiquei ainda meio divida.
    Por enquanto, não lerei. Quem sabe futuramente?
    Beijos
    http://recolhendopalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu curti bastante o livro, de vdd. Tive algumas ressalvas (quando a gente não tem, não é msm?), mas nada que me fizesse gostar menos do livro. Achei a leitura fluída e a história me prendeu. Como eu disse na minha resenha, a identidade do vilão não me interessou mt, pq fiquei LOUCO pelos diálogos! <3

    Adorei o post! :D

    Abraços.
    Alex, do Um Bookaholic. <3
    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: Twitter | Instagram

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo