[Resenha] A Princesa de Ônix - Jadna Alana

24 setembro 2017

Editora: Coerência
Gênero: Fantasia
Onde comprar: Editora Coerência / Saraiva
Páginas: 340
Classificação: 5/5 + favorito
Sinopse: Em um mundo onde a magia é possível, Sete Reinos foram criados pela Trindade Iniciadora. Eles foram representados por espécies mágicas diferentes e a lei e o poder foi a única verdade absoluta para ser vivida durante os últimos séculos.No Reino de Ônix, a princesa bruxa Amie Bell, acaba de completar dezoito anos de idade. Uma data que deveria ser comemorada com muita alegria, mas que acaba se tornando o pior dia da vida dela. Encurralada por um feitiço que deu errado, a jovem embarca em uma aventura onde descobrirá o que existe além dos muros do palácio onde viveu a sua vida inteira. Terá que despertar suas habilidades para sobreviver sem todos os caprichos que tinha como princesa e terá que lutar por sua sobrevivência com a ajuda de um Clã que vive contra as leis de Olivarum.Você está pronto para encarar essa aventura?Lembre-se: Se fizer a escolha errada, tudo pode acabar.





A muitos séculos atrás a Trindade Iniciadora criou o Mundo de Olivarum impondo ao seu povo regras e práticas que foram levadas até os dias atuais. Este mundo foi dividido em sete reinos diferentes de seres sobrenaturais cheio de poderes e magia, e cada um tinha sua família real de linhagens muito poderosas.


- Reino de Diamante é composto pelos anjos;
- Reino de Esmeralda é composto pelas fadas;
- Reino de Safira é composto pelas Sereias;
- Reino de Rubi é composto pelos Vampiros;
- Reino de Jaspe é composto pelos Licantropos/Lobos;
- Reino de Pérola é composto pelos Feiticeiros;
- Reino de Ônix é composto pelos Bruxos;


Conhecemos Amie, a princesa de Ônix, que acaba de completar 18 anos e está se preparando para uma festa onde deverá realizar um feitiço para mostrar tudo que aprendeu nesses anos na Escola de Bruxaria. Está festa é um ritual obrigatório que todos os bruxos devem passar para entrarem na vida adulta. Porém Amie não quer de forma alguma esta festa, pois ela não tinha muitas habilidades com feitiços e as expectativas sobre ela eram altíssimas por ser a princesa de seu reino.


"Todos precisam de uma âncora como motivo de não desistir da existência. Será que ela tinha uma?"

Por estar extremamente nervosa, na hora da cerimônia Amie lança um feitiço de teletransporte indo parar na floresta, um lugar cheio de perigos e que ela desconhecia. E é lá que Amie acaba encontrando o Clã do Pacto, um grupo comporto por seres de todos os reinos que se juntaram com o objetivo de lutar contra o governo e contra suas regras absurdas, como por exemplo: Seres de reinos diferentes não podem se relacionar, mesmo estando apaixonados, e caso sejam descobertos podem até serem mortos... (qualquer semelhança com a realidade talvez não seja coincidência). E convivendo com o Clã do Pacto, Amie descobre que tudo que ela sabia sobre seus governantes pode ser uma grande mentira.

"Ouvir aquele nome a fez lembrar do encontro que teve com ele mais cedo. seu coração deu pulinhos e ela sentiu todo seu sangue subir à cabeça. Ela nunca tinha sentido nada disso ao ver alguém. Respirou fundo e deixou os pulmões se encherem de ar para que pudesse respirar melhor."


Enquanto Amie está perdida na floresta, sua família acha que ela morreu. E Alek, além de ter que lidar com a dor da perda da irmã, precisa lidar com o casamento arranjado que seu pai o impôs. Porém Alek não ama sua futura noiva, ele ama Becky, que é a princesa do reino de Safira, ou seja, Becky é uma sereia e Alek um bruxo, um amor proibido por lei.


O livro inteiro intercala entre Amie com o Clã do Pacto tentando voltar para casa e Alek com o dilema de lutar pelo seu amor, ou se conformar com as regras que seu mundo vive a séculos e se casar com Angel. E nesse meio tempo conhecemos mais sobre cada reino, seus dons e suas personalidades e vimos o qual esse mundo é rico e diversificado.

"Um amor não pode ser apagado como uma simples palavra é apagada de um papel. [...] Um amor não pode ser rasgado como uma simples folha que cai de uma árvore é. Um amor não pode ser destruído colônia copo de cristal atirado ao chão! O que eu sinto não vai morrer nunca."


O final de A Princesa de Ônix foi extremamente surpreendente, não foi de forma alguma como imaginei e isso me impactou muito. Chorei rios e quando achava que tinha parado acontecia algo que me fazia voltar a chorar. Amie é uma personagem que se torna muito forte e madura, e que nos trás uma tranquilidade, uma esperança na vida e terminamos a leitura sentindo paz, como se voltássemos para casa após um dia exaustivo. É RECONFORTANTE! 
"O amor é uma arma poderosa. Ele pode machucar, fazer sofrer, mas no final sempre valerá a pena. Eles eram seres que viviam em meio a magia e utilizavam dela, mas o que eles não sabiam era que o amor era a magia mais poderosa que alguém poderia ter. Por causa do amor é que vivemos."


A Princesa de Ônix é o primeiro livro da duologia Os Sete Reinos de Olivarum, e já estou extremamente ansiosa para o segundo livros e saber como os nossos personagens lindos irão seguir daqui pra frente, e pelo final do primeiro ELE PROMETE MUITOS ATAQUES CARDÍACOS!!! 

PELO AMOR DA TRINDADE, vocês precisam ler A Princesa de Ônix e entrarem nesse mundo mágico e incrível junto comigo. Então só posso dizer BEM VINDOS AO MUNDO DE OLIVARUM!



VÍDEO RESENHA: A Princesa de Ônix <3

1 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

1 comentários:

  1. Amigaaaaaaaa, eu não sei mais o que comentar. Só tenho a agradecer.
    Obrigada por tudo. Ipsa trinitas.

    ResponderExcluir

 
© Memórias de uma leitora, VERSION: 01 - BLUE FLOREST - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo